Transformação Digital

Uma automação robótica de processos (RPA) pode realmente fazer o papel de um humano?

20/08/2020

Tempo estimado de leitura: 4 minutos

A resposta é sim! Saiba como o RPA pode ser um diferencial na produtividade da sua equipe.

Tarefas repetitivas vão impactar diretamente na produtividade dos colaboradores e a Automação Robótica de Processos (RPA na sigla em inglês para Robotic Process Automation) é uma forma de desburocratizar essas demandas.

Como?

Imagine um colaborador do departamento financeiro que todo mês precisa enviar dezenas de e-mails aos funcionários e fornecedores requisitando a emissão da nota fiscal pelos serviços prestados.

Isso significa que, para cada profissional e empresa parceira, é preciso calcular o valor dos serviços, criar um contrato de prestação, atualizar o sistema com esse documento e atualizá-lo quando a nota fiscal é enviada.

Já pensou na quantidade de tempo que esse colaborador leva para organizar tudo isso? Sem contar que essas tarefas burocráticas e repetitivas podem levá-lo ao erro. Nessas horas, automatizar os processos faz toda a diferença.

Uma solução de RPA pode ser a porta de entrada para o início de uma estratégia de transformação digital na sua empresa. Porque a tecnologia irá solucionar um desafio do seu negócio e abrir espaço para novas oportunidades.

Geralmente, cada setor de uma empresa possui suas próprias tecnologias e, como não são atualizadas constantemente e nem conversam entre si, a organização acaba gastando mais de seu orçamento na contratação ou no treinamento de uma pessoa para manuseá-las.

O resultado: tempo e dinheiro consumidos, mas sem a garantia de que o rendimento dos colaboradores e dos resultados da companhia continuem positivos.

Por isso a RPA é uma tecnologia que você pode considerar adotar em nome da tão falada transformação digital. E neste blog post explicamos todos os motivos!


O que é RPA?

RPA é o uso de um ou mais robôs de software (cada um com uma função específica) para automatizar os processos repetitivos.

Assim, a tecnologia assume determinada atividade, liberando o colaborador para assumir uma demanda onde ele é necessário.

Vamos supor que uma rede de hotéis tenha mudado o processo de vendas em seu site, solicitando o adiantamento de 50% do valor total para reservar um quarto. Porém, o sistema de TI que recebe os pedidos ainda não teve seu código atualizado.

Nesse caso, um colaborador precisaria verificar, manualmente, todas as faturas no sistema e os detalhes de pagamento delas, para identificar quais pedidos tiveram a caução de 50%, garantindo a reserva.

Caso esse processo fosse automatizado, um robô poderia verificar essas faturas e, ao identificá-las, outro seria responsável em disparar um e-mail informando sobre a mudança de reserva para os clientes que não realizaram o depósito do valor acordado.

Assumir essas atividades só é possível porque esses robôs foram desenvolvidos com base em regras. Ou seja, eles executam rigorosamente ao que foi programado. Neste caso, identificar faturas e disparar e-mails.

Aqui vale destacar que RPA não é uma Inteligência Artificial, já que esta última tem um processo inverso: a IA vai deduzir o que é uma regra a partir do volume de dados inserido no sistema.

Como uma automação robótica de processo atua?

Adotar uma solução RPA é tirar o “lado robô” de um humano para que ele se dedique e seja mais produtivo em outras atividades. Esse foi o desafio de um cliente da Embratel que atua no setor de educação.

A companhia possui uma base de 29 mil clientes e demorava 30 dias para conferir se os dados cadastrados batiam com os disponíveis na Secretaria da Fazenda do estado em que a escola atua. Desde que resolveu automatizar os processos, essa demanda caiu para 12 horas.

Essa agilidade de entrega é uma das vantagens quando você, além de adotar a tecnologia, conta com uma parceira como a Embratel para a implantação da solução. Outros benefícios desse combo são:

  • Processos automatizados: o robô vai repetir o mesmo processo após ser implementado, assim não é preciso realizar treinamentos com frequência.
  • Implementação simples: não é necessário reescrever um software legado ou alterar a interface ou API de um sistema.
  • Eficiência operacional: um robô pode trabalhar 24 horas por dia e 7 dias por semana. Isso dá a chance de o colaborador manter a sua produtividade, reduzindo os riscos de erros, gargalos e custos.

Aproveitar-se dessas vantagens da solução é o primeiro passo para pensar estrategicamente em como escalá-la. Ao perceber os ganhos de produtividade e de receita com uma RPA, o próximo nível seria deixá-la inteligente, como já explicamos neste post aqui.

Então, a RPA pode fazer o papel de um humano?

Sim, a RPA pode fazer o papel de um humano, mas isso não significa que irá substituí-lo.

Pelo contrário, ela pode e deve ser agregada ao cotidiano de um funcionário. Significa dizer que a automatização de processos permite uma melhor gestão do colaborador, realocando-o ou então capacitando-o para demandas estratégicas.

É o caso de uma instituição financeira italiana que adotou a RPA para lidar com os alertas de roubo ou fraude no cartão de crédito.

Até então, o contact center da companhia possuía 500 agentes para uma média mensal de 650 mil ligações.

Quando uma interação era finalizada, os colaboradores gastavam muito tempo para atualizar os dados no sistema e realizar as atividades de acompanhamento, colocando em risco o relacionamento com o cliente.

Ao implantar a tecnologia, o tempo médio de atendimento foi reduzido em 82%, e os agentes ficaram livres para focar na investigação de um alerta de fraude na melhora da interação com o cliente.

Isso trouxe resultados expressivos para a financeira, que passou a identificar até 8 mil alertas por mês com uma taxa de precisão de 99%.

Por que a Embratel é a parceira certa para a sua empresa?

A RPA da Embratel é uma solução fim a fim em que você contará com conectividade, infraestrutura de TI, segurança e mobilidade, além de poder, em um outro momento, integrá-la com Inteligência Artificial.

Além disso, a Embratel ajuda a compreender todo o potencial de negócio que sua empresa pode ter com a tecnologia, uma vez que um trabalho consultivo é realizado nos ambientes internos.

Isso significa que, antes de a RPA entrar em execução, um time de especialistas vai mapear quais processos podem ser automatizados a partir dos dados que você possui.

Depois disso, começa a fase de programação de robôs. Eles serão testados para, então, serem colocados em produção.

Nessa fase também ocorre o acompanhamento do desempenho da máquina. Assim, é possível identificar e corrigir desvios (quando o robô não executa uma ação e direciona o “problema” para um humano resolver).

Tudo isso com algumas funcionalidades agregadas para garantir o sucesso do projeto: disparo de alertas, relatórios de execução, gráficos de KPIs e gerenciamento dos robôs por parte da Embratel após a implementação.

Descubra mais como RPA e outras tecnologias vão ajudar sua empresa a automatizar os processos aqui.

Não deixe também de falar com um de nossos consultores para saber como levar o seu negócio para o próximo nível: é só clicar no no banner abaixo.


Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *