Transformação Digital

Experiência do cliente e mais três vantagens que a digitalização traz ao varejo tradicional

06/05/2021

Tempo estimado de leitura: 4 minutos

Artigo destaca como a tecnologia pode transformar lojas físicas em espaços inteligentes, gerando valor aos negócios.

O varejo é um setor muito promissor quando se trata de tecnologia e inovação, principalmente ao fazer uso da conectividade e Internet das Coisas (IoT). Essa dupla pode ser o caminho para que empresas do varejo tradicional agilizem seus processos e aprimorem a  experiência do cliente, ainda que mantenham uma operação majoritariamente física.

Uso de analytics para entender o comportamento do usuário, aplicativos de pagamentos, monitoramento da cadeia de suprimentos e do consumo energético são alguns exemplos de como a tecnologia pode apoiar o setor na constante busca pela redução de custos e aumento de receitas.

No entanto, como?

Apesar de algumas empresas do varejo já nascerem digitais, muitas marcas tradicionais têm redefinido a experiência de compras. Riachuelo, Natura, Magazine Luiza, Centauro e O Boticário são algumas das que apostaram em uma estratégia omnichannel para colocar o cliente no centro das atenções, quer seja no físico ou no digital.

A integração entre conectividade e IoT é o que um artigo da Bosch defende para que as empresas mais tradicionais (no caso, as que contam muito com as suas estruturas físicas) acompanhem o ritmo de quem é nativo digital. Até porque, lojas conectadas já existem e são uma realidade no Brasil. De redes de moda a drogarias, diversos segmentos já contam com alguma experiência digital.

E quais são os fatores que estão impulsionando a transformação digital do varejo tradicional? O artigo destaca 4 vantagens da digitalização do varejo. Confira.

4 vantagens da digitalização para as lojas tradicionais

As soluções digitais para o varejo cresceram ao longo dos anos, impulsionadas pela necessidade de oferecer melhores experiências aos clientes. Há ainda um outro fator: os hardwares e softwares, mais do que necessários para essa jornada, ficaram mais baratos e intuitivos.

À medida que os segmentos do varejo passam a ser mais digitais, eles vão entender que muitos desafios e problemas podem ser resolvidos com o auxílio da tecnologia. Confira as vantagens apontadas pelo artigo da Bosch que as soluções digitais podem oferecer.

1. Experiência do cliente aprimorada

O comportamento do consumidor refletiu na maior demanda por soluções digitais. E as empresas do varejo (físico ou digital) perceberam isso com a pandemia da COVID-19. “A lição é, mais uma vez, que a experiência do varejo está migrando para o on-line”, diz o artigo. 

Para competir com essa tendência, os varejistas tradicionais que ainda não contam com uma presença no virtual precisam oferecer uma experiência que não existe no on-line.  

É aqui que entra o “poder” das soluções digitais. A tecnologia pode, por exemplo, remover obstáculos que prejudicam uma experiência de compra, como o longo tempo de espera em filas. Além disso, há a possibilidade de reter o consumidor e criar oportunidades de upselling.  

Outra característica do negócio físico que pode ser potencializado, ainda que indiretamente, pela tecnologia é o toque pessoal no trato com o cliente. Segundo a Bosch, a automatização de processos pode liberar os funcionários para que eles se concentrem em atender, de maneira personalizada e individual, os seus consumidores. 

2. Redução de custos operacionais

A redução de custos é um desafio em qualquer setor, e no varejo tradicional não seria diferente. Além da experiência aprimorada do cliente, identificar e diminuir os gastos é outra pressão que as lojas têm diariamente.

Ao fazer uso de tecnologias, as empresas conseguem reduzir as chances de erros de cálculos e custos adicionais. Por exemplo, é possível otimizar processos nas lojas, melhorar a eficiência energética delas. Já o segmento alimentício consegue reduzir o desperdício de produtos.

3. Conformidade com leis e regulamentações

Todas os varejistas têm uma série de obrigações com leis e regulamentações. Quando não obedecidas, as chances de pagarem multas e terem a reputação de marca colocada em xeque aumentam.

No varejo físico, em resposta à pandemia de COVID-19, mais regras foram estabelecidas para que as lojas pudessem abrir e continuar com suas operações. Neste momento, uso de sensores IoT, como etiquetas RFID, podem ajudar a evitar multas geradas por órgãos regulatórios.

FIQUE POR DENTRO: O futuro da indústria têxtil pode estar bem próximo de mudar

Supermercados podem ser um exemplo aqui. Essas lojas precisam ter um controle dos produtos que precisam de refrigeração. De um lado, tecnologias podem eliminar o esforço manual para monitorar e registrar as temperaturas de refrigeração.

Já outra oportunidade é de ter toda a cadeia desses produtos mapeada – da produção ao transporte e entrega no estabelecimento – para saber se esses itens estão bons para consumo e até mesmo ajudar na reposição do estoque. 

Claro, todos esses dados precisam também estar em conformidade com leis de proteção de dados, como a LGPD aqui no Brasil. O tráfego desses dados entre os dispositivos e o servidor em nuvem deve estar seguro para evitar vazamentos — algo infelizmente bem recorrente desde o ano de 2020. 

4. Novos fluxos de receita

O uso de tecnologia pode dar novos insights para os varejistas, que poderão entender como criar fluxos de receitas. Entender qual a cor da estação e colocá-la na vitrine, identificar qual bebida é mais comprada durante um horário e manter a geladeira sempre abastecida são alguns exemplos. 

Há inúmeras oportunidades ao extrair dados e, a partir deles, monitorar como um grupo de clientes se comporta. Se uma loja tem estacionamento, ela consegue usar câmeras inteligentes para avaliar a quantidade de carros que estacionam diariamente ali. 

Com isso, pode-se avaliar não apenas a necessidade de ampliar a capacidade de atendimento da loja em tempo real, mas também permitir que o local crie vagas para mensalistas fora do horário comercial, como sugere o artigo da Bosch. Por fim, esses exemplos, ressalta a publicação, vão exigir das empresas a interoperabilidade para que esses negócios se tornem realmente inteligentes. 

Principais destaques desta matéria

  • Varejo tradicional pode ser tão digital quanto as empresas do setor que já são nativas.
  • Com uso de conectividade e IoT, lojas conseguem extrair algum valor para seus negócios.
  • Confira 4 vantagens da transformação de uma loja em um espaço inteligente.

Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *