Transformação Digital

Employee Experience: sua empresa está pronta?

12/02/2020

Tempo estimado de leitura: 5 minutos

Employee Experience traz até 4x mais lucro e funcionários 20% mais produtivos para a empresa. Confira 5 dicas para promover uma experiência positiva na sua.

Muito se fala do Customer Experience (CX) como uma oportunidade de gerar novas receitas para as empresas. Mas, se você encara alta rotatividade de funcionários e gastos com treinamentos em sua companhia, não seria a hora de olhar também para o Employee Experience (EX)?

Esse conceito começou a se tornar mais relevante recentemente, quando empresas viram a necessidade de atender as expectativas de seus próprios funcionários. Como aponta uma pesquisa da Social Market Foundation, organização britânica de políticas públicas:

  • Empresas lucram 4x mais quando investem na experiência do colaborador.
  • Com isso, funcionários podem ser até 20% mais produtivos nesses locais.

No entanto, o EX ainda é um desafio para muitas organizações, como identificou a consultoria de mercado Deloitte no relatório “2019 Global Human Capital Trends”.

Para 84% dos entrevistados, garantir uma boa experiência do colaborador é um problema, enquanto 28% identificaram o conceito como uma das três dificuldades mais urgentes enfrentadas no dia a dia da empresa.

Mas o que é Employee Experience?

Como conceitua o instituto Great Place To Work, employee experience é a “soma de todas as experiências de um funcionário por meio da sua conexão com a organização. Do primeiro contato como um candidato potencial, até o fim do vínculo de trabalho com a empresa”.

Porém, se a sua empresa deseja apostar nos colaboradores, a Deloitte destaca três pontos que todo líder deve considerar:

  1. Funcionários são diferentes dos clientes: colaboradores têm um relacionamento pessoal duradouro com os empregadores, ao contrário dos clientes que podem parar de comprar o produto de uma marca a qualquer momento.
  2. Experiência do funcionário é social: ela é construída em torno da cultura organizacional e do relacionamento com outros colaboradores. Além disso, essa experiência não deve focar somente nas necessidades de um funcionário.
  3. Facilidade não é apenas tecnologia: por isso, os colaboradores desejam também fazer parte de uma empresa que promova uma carreira, que tenha um propósito e que traga um significado ao trabalho.

Vale salientar que esses três pontos levam a uma fórmula básica citada por Tim Wenhold, diretor de inovação da Power Home Remodeling, companhia de remodelação externa: “você não pode ter clientes mais felizes que seus funcionários”.

Em entrevista ao site CIO, Wenhold pontua que a experiência do cliente é uma extensão da experiência do funcionário. “Se eles estiverem descontentes e atenderem a um cliente, isso será percebido”.

A tecnologia ajuda ou atrapalha a produtividade dos seus funcionários?

Embora o conceito de Employee Experience seja amplo, muitas empresas colocam seus esforços na adoção de tecnologias como meio de melhorar a produtividade do colaborador. Porém, você sabe dizer se ela “está ajudando ou atrapalhando a sua equipe”?

O questionamento é de Wenhold, que afirma que a tecnologia não é neutra. Por isso, o Mundo + Tech resumiu cinco pontos citados no site CIO sobre como você pode melhorar a experiência do colaborador com um fornecimento correto de soluções.

1. Saiba escutar as necessidades do seu time

A tecnologia pode até melhorar os processos da sua empresa, mas você sabe como ela traz benefício para cada funcionário? Quem tenta entender esse impacto positivo é o escritório de advocacia Culhane Meadows.

A empresa criou um grupo de testes com oito parceiros (entre litigante, advogado de patentes, advogado de negócios etc.) para experimentar algumas ferramentas de tecnologia. A equipe recomentou, então, um software para conectar o sistema de e-mail ao de gerenciamento.

A ideia é que todos os advogados, acostumados a salvar documentos no computador pessoal, armazenassem esses arquivos no repositório da empresa. Assim, todos os profissionais teriam acesso aos documentos em caso de necessidade.

No entanto, a implantação do software ainda é recente e o escritório não tem certeza se a solução já trouxe benefícios. “Com base no entusiasmo que podemos ver em nossas equipes, parece que isso tornará as coisas muito melhores”, diz Kim Verska, CIO da Culhane Meadows.

2. Saiba como integrar os funcionários

Encontrar, recrutar e contratar talentos demanda muito tempo, esforço e recursos para a sua empresa. Por isso, a tecnologia pode ser uma aliada para você, assim como para o profissional que pretende fazer parte da sua equipe.

É o caso da Power Home Remodeling, que passou a agilizar o processo de recrutamento e integração dos colaboradores. Mas como? Simples, a empresa obtém as informações do candidato no site de busca de emprego em que a vaga é ofertada.

Caso o candidato aceite a proposta de emprego, ele pode assinar digitalmente os contratos para não ficar sobrecarregado com papelada no primeiro dia de trabalho. Assim, o RH consegue trabalhar na experiência dele e integrá-lo ao ambiente.

3. Saiba quando exigir muito aprendizado

Sejamos sinceros, sua equipe tem tempo disponível para longos treinamentos de uma tecnologia? Ao invés de ensinar como usar uma tecnologia, talvez seja mais fácil mostrar ao colaborador como ele pode tirar vantagem da plataforma por ela ser rica em recursos.

Ou seja, é permitir que a sua equipe consiga ver a amplitude da solução, ainda mais se ela tiver uma interface e usabilidade intuitivas. Em um resumo, é apostar em uma tecnologia que não exija treinamento, mas que facilite isso para os profissionais.

4. Saiba oferecer a mesma experiência fornecida ao consumidor

Muitas empresas utilizam várias plataformas que exigem, por exemplo, fazer login constantemente. Isso é o suficiente para essa tecnologia estar na “escala de ódio” imaginária de Peter Yared, fundador e CEO da InCountry, empresa global de proteção de dados.

Para o executivo, os funcionários já começam a comparar, como consumidores, as plataformas usadas dentro do ambiente de trabalho. Yared afirma que a tecnologia precisa ir além de algo intuitivo, precisa ter o design desenvolvido a partir da experiência do usuário.

5. Saiba atualizar o trabalho para o digital

Você sabe dizer quantos anos tem o desktop ou notebook que o seu colaborador usa? O Wi-Fi funciona durante todo o expediente? Pode parecer bobagem, mas são dois pontos que podem, e muito, minar a experiência do colaborador.

Como destaca Peter Yared, “você não pode ter transformação digital sem um local de trabalho digital”. Quando você consegue fornecer tecnologias atualizadas para o colaborador, ele vai se sentir valorizado e terá outro olhar (positivo) sobre a sua organização.

Employee Experience faz toda a diferença

Você vai sentir isso quando entregar as ferramentas corretas para a sua equipe. Sabemos que o turnover de funcionários gera custos com mais um recrutamento e treinamento de uma nova pessoa.

No entanto, como aponta uma pesquisa da Culture AMP, plataforma de análise de feedback de funcionários, 10% dos colaboradores deixam uma empresa após seis meses. Isso diz muito sobre employee experience e qual mensagem uma companhia passa ao não conseguir reter o funcionário.

Por fim, o que você deve questionar é: as tecnologias adotadas atendem as necessidades dos colaboradores? E como eles se sentem em relação ao seu negócio? Assim você consegue traçar uma melhor experiência que vai além de festas e um ambiente descolado.

Principais destaques desta matéria:

  • Employee Experience é toda conexão que o seu colaborador tem com a sua empresa;
  • Entretanto, garantir uma boa experiência ao funcionário ainda é um desafio;
  • Confira 5 dicas que você pode considerar para engajar sua equipe.

Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *