Transformação Digital

Conheça as prioridades de investimento em TI em 2021

18/02/2021

Tempo estimado de leitura: 3 minutos

Pesquisa da Gartner apontou que 2021 deve registrar um aumento de 6,2% nos gastos com TI, chegando a quase US$ 4 trilhões globalmente.

A transformação digital nunca foi tão real nas empresas. Por conta da pandemia, muitas reservaram parte do orçamento para realizar investimento em tecnologias críticas. Ou seja, as essenciais que seriam capazes de oferecer a continuidade dos negócios.

Apesar dos gastos com TI registrarem uma queda de 3,2% em 2020, este cenário está mais positivo para este ano, segundo a Gartner. A projeção para 2021 é que o setor tenha um aumento de 6,2% em relação ao acumulado no período anterior.

O relatório, divulgado no início de fevereiro, aponta que o acumulado global com TI deverá chegar a US$ 3,9 trilhões em 2021. E um dos responsáveis em impulsionar esse crescimento é o mercado de dispositivos.

A expectativa é que este mercado cresça 8% neste ano, totalizando um investimento de mais de US$ 700 bilhões. Como destaca John-David Lovelock, vice-presidente de Pesquisa do Gartner, uma “combinação de fatores impulsionam” os gastos com dispositivos.

Para o executivo, de um lado a educação remota vai exigir uma demanda de tablets e notebooks aos alunos. Já de outro, as empresas irão aprimorar o trabalho remoto de seus colaboradores neste ano.

Segundo Lovelock, essa entrega por uma melhor experiência do home office deve-se à “estabilização do orçamento, permitindo os CIOs revisitarem os ativos descartados em 2020.”

Quais outros gastos com TI terão prioridade em 2021?

Apesar ainda das incertezas econômicas para 2021, Lovelock acredita que “os negócios digitais, liderados por projetos de curto prazo, receberão mais atenção administrativa neste ano.”

O desafio imposto aos CIOs é o de encontrar um equilíbrio nas iniciativas. Segundo o vice-presidente da consultoria, eles devem “economizar dinheiro e expandir seus esforços em TI […] voltando a investir na área de maneira mais consistente com as expectativas de crescimento.”

Na avaliação da Gartner, o mercado de software corporativo é o que terá maior recuperação em 2021. A projeção é crescer 8,8% e fechar o ano com US$ 505 bilhões, impulsionado por novas estratégias de expansão e melhoria do trabalho remoto.

Além de software corporativo e de dispositivos (como citado no início deste artigo), outros três mercados vão mostrar recuperação neste ano:

  • Sistemas de data center: crescimento de 6,2%, totalizando US$ 228,36 bilhões.
  • Serviços de TI: crescimento de 6%, com gastos de US$ 1.072,58 trilhões.
  • Serviços de Comunicação: gastos de US$ 1.410,74, gerando crescimento de 4,5%.

Transformação digital será ainda mais acelerada

Se em 2020 o home office foi um aprendizado para muitas empresas, este ano elas já devem ter estratégias para oferecer melhor qualidade de trabalho remoto aos colaboradores.

Para a Gartner, a adoção permanente desta modalidade de trabalho está no radar de muitas organizações. Isso vai exigir delas uma aceleração dos planos de transformação digital até 2024 como meio de dar continuidade aos negócios em um período pós-COVID-19.

Outro destaque é que, para acompanhar também os consumidores, essa aceleração vai demandar ainda o desenvolvimento de pontos digitais de contato. Em outras palavras, as empresas começarão a colocar ainda mais em prática o omnichannel.

Lovelock destaca ainda que muitas empresas farão negócios digitais com tecnologias que foram essenciais em 2020, como computação em nuvem e aplicações para core business, segurança e experiência do cliente.

Gastos em TI vai ser sobre como e não quanto

Embora a Gartner projete crescimento em todos os mercados de TI até 2022, a consultoria acredita que a recuperação global de diversas indústrias não deve acontecer totalmente até 2022.

As organizações estão cientes de que a adoção de tecnologia mudou em várias indústrias. Houve um aumento nos investimentos em digitalização de processos internos, cadeia de suprimentos, interação com clientes e entrega de serviços.

Segundo Lovelock, esses investimentos transformam o modo como as tecnologias são usadas, uma vez que elas deixam de ser suportes aos negócios e passam a ser o próprio negócio de uma empresa.

“A maior mudança este ano será como a TI é financiada, não necessariamente o quanto a TI é financiada”, finaliza.

Principais destaques desta matéria

  • Gastos em TI vão crescer mais de 6% em 2021, totalizando quase US$ 4 trilhões em todo o mundo.
  • Destaque vai para o investimento em software corporativo e dispositivos.
  • Para Gartner, empresas vão acelerar ainda mais a jornada de transformação digital nos próximos cinco anos.

Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *