TI , Transformação Digital

Conheça 5 benefícios de apostar no conceito DevOps em sua empresa

03/07/2020

Tempo estimado de leitura: 5 minutos

DevOps vai unir desenvolvedores e profissionais de TI na criação de um software de forma segura e ágil.

Você já ouviu falar sobre o conceito de DevOps? Imagine a seguinte situação: seu departamento de TI tem a missão de criar e disponibilizar uma aplicação em três meses. Porém, os times de desenvolvimento (software) e de TI (ambiente de produção) não estão em sintonia.

Isso significa algumas dores de cabeça: atraso na entrega de um projeto, aplicativo sem as melhores práticas de segurança (por sinal, saiba mais sobre esse tema aqui), clientes insatisfeitos e, com tudo isso, perda de receita e reputação.

Ainda mais no cenário atual, em que a adoção desenfreada de tecnologias para agilizar a transformação digital provocou inúmeras vulnerabilidades nos sistemas. Assim, a falta de alinhamento no departamento de TI não atende às necessidades internas e nem as externas.

É aí que entra o DevOps. Essa metodologia (que em tradução livre seria Desenvolvimento e Operações) é um conjunto de práticas de integração e comunicação entre desenvolvedores de software e os profissionais de TI.

No entanto, a metodologia vai além disso. Ela pode envolver um time de qualidade (colaboradores focados na experiência do usuário, por exemplo) e se apoia também na automação de processos para desenvolver, de forma ágil e segura, aplicações e serviços.

Continue lendo este blog post e entenda por que esse conceito vai fazer a diferença na sua empresa.

O que é DevOps?

DevOps é uma combinação de “Desenvolvimento” e “Operações” que vai enfatizar a colaboração desses dois mundos, enquanto as alterações de software e infraestrutura são realizadas de forma automatizada. Tudo isso feito de maneira mais próxima aos objetivos de negócio da empresa.

Relembrando o exemplo do começo deste texto, com muitos trabalhadores em home office devido à pandemia do novo coronavírus, imagina que uma empresa decida desenvolver um sistema de ponto eletrônico virtual.

De um lado, os desenvolvedores começam a trabalhar numa plataforma que pode ser acessada no navegador de internet. Do outro, os profissionais de TI vão estruturar o ambiente em que a solução será hospedada (on premise ou nuvem, por exemplo).

Nesse esquema de trabalho, os dois times só vão se unir para testar a plataforma, ou seja quando o software já estiver finalizado e o ambiente, estruturado. Além de um maior tempo de produção, qualquer erro encontrado deve ser mapeado para que as equipes identifiquem de onde ele vem.

Na direção contrária, quando um departamento de TI atua em um modelo DevOps, ele vai mitigar essas barreiras, porque cada projeto é trabalhado em metodologia ágil (desenvolvimento, integração e entrega contínua) e de forma transparente entre todos os envolvidos.

Ou seja, desenvolvedores e profissionais de TI irão trabalhar de forma colaborativa desde o desenho do projeto até a implantação dele. Porém, o diferencial em relação à maneira tradicional é a implantação ágil de novos recursos, patches de segurança e correções de erros.

A importância dos testes automatizados

Vamos supor que a solução de ponto eletrônico virtual foi colocada no ar. Depois de receber vários feedbacks dos usuários, a empresa decide adicionar um novo recurso. Mas, a atualização da nova versão acabou derrubando toda a plataforma.

Já imaginou todo o trabalho que as equipes vão ter para encontrar onde ocorreu o erro? Daí a importância de automatizar os testes em todas as etapas de desenvolvimento de uma plataforma.

Testes automatizados podem ser resumidos como o uso de uma suíte de ferramentas que vão auxiliar os colaboradores nos testes de software. Por exemplo, é possível validar que o código-fonte da aplicação não está quebrado ou que ele foi escrito sem brechas de segurança.

Porém, esses testes são necessários em outras camadas também, como a interface do usuário. Pense que, ao tentar bater o ponto na plataforma, um colaborador insere seu login e senha, mas uma mensagem de erro aparece.

A interface do usuário é uma de várias camadas envolvidas no desenvolvimento da plataforma. Quando cada uma delas é testada, os times de DevOps vão ter maior segurança na escrita dos códigos, garantindo a entrega e disponibilidade da aplicação.

No entanto, vale lembrar que existem vários tipos de testes automatizados e que o teste A, feito na camada 1, pode não valer para a camada 2. Este artigo da comunidade DevMedia traz um quadrante com alguns tipos de testes, apresentados por Lisa Crisping e Janet Gregory, autoras do livro “Agile Testing: A Practical Guide for Testers and Agile Teams”.

As vantagens de ter as equipes integradas

Você já sabe o que é DevOps e como os testes automatizados vão ajudar na entrega de aplicativos e outros projetos. Mas, se ainda há dúvidas sobre as vantagens, o site DevOps.com separou 5 benefícios dessa filosofia.

1. Desenvolvimento de código

O Sistema de Controle de Origem (SCM, na sigla em inglês para Source Code Management) é um software que vai gerenciar as diferentes versões de uma aplicação. No caso aqui, vamos voltar ao ponto eletrônico virtual e à queda da plataforma após a atualização de um novo recurso.

Quando as equipes têm em mãos um SCM, elas terão um histórico de todas as alterações feitas no código, podendo gerenciar e rastrear qualquer mudança feita na aplicação. Isso economiza tempo para encontrar o erro e reduz a complexidade de correção.

2. Testes mais fáceis

Como explicamos anteriormente, os testes em uma aplicação são contínuos. Quando não são automatizados, a execução e gerenciamento deles precisa de um agente humano. Isso pode gerar dois problemas para a empresa:

  1. Atrito entre o time de desenvolvedores e a equipe de operações sobre quem será responsável em realizar essa tarefa.
  2. Chance de erro humano, já que é um trabalho repetitivo, possibilitando falhas na escrita do código.

A equipe pode até ter um SCM para rastrear as alterações no código do ponto eletrônico virtual, mas sem a automação dos testes, um colaborador precisará revisar linha por linha para tentar identificar, a partir da última data de atualização, onde está o erro.

3. Melhor visibilidade

Agora vamos para outro exemplo, mas utilizando ainda o ponto eletrônico virtual. Um desenvolvedor enviou a versão X da aplicação para a equipe de TI. Semanas depois, o time de TI envia um relatório informando alguns erros ao subir a plataforma para o ambiente.

Essa falta de comunicação vai se transformar em pressão para o desenvolvedor, porque ele terá que descobrir e solucionar os erros da versão X. Em paralelo, terá que trabalhar também na versão X.1 da aplicação para evitar, por exemplo, que o erro possibilite o acesso aos dados.

Numa cultura DevOps, os gargalos e silos desses projetos são eliminados, uma vez que desenvolvedores e TI estão trabalhando em um mesmo ambiente e estão se atualizando constantemente sobre cada passo do projeto.

O resultado é que, com essa troca de feedbacks, a empresa toma decisões mais rápidas sobre a aplicação, a qualidade é mantida e, do ponto de vista das equipes, a produtividade é aprimorada.

4. Entregas contínuas

A automação tem um papel importante na cultura DevOps porque permite saber quais testes são adequados para determinado ambiente de homologação, quais alterações no código devem ser feitos etc.

Olhando novamente para o exemplo do ponto virtual eletrônico, a empresa agora quer fornecer um relatório de produtividade ao colaborador, podendo ser acessado diariamente dentro da plataforma. O teste automatizado vai ajudar que o código dessa atualização seja escrito corretamente e sem bugs.

Assim, os times podem desenvolver e habilitar novos recursos (como o relatório) na aplicação, uma vez que vão implantar códigos sem bugs e já testados previamente.

5. Monitoramento dos dados

As equipes precisam medir e monitorar o desempenho do ponto virtual eletrônico. No entanto, a análise dos logs pode ser um processo demorado e complicado devido às diversas camadas da aplicação (interface, hospedagem, servidores etc.).

Quando esse processo é automatizado, os dados ficam mais fáceis de serem compreendidos pelos times de desenvolvedores e de TI. Assim, eles conseguem entender se o ponto virtual eletrônico tem apresentado um bom desempenho para outros colaboradores ou se há algum gargalo que não permite uma experiência fluída.

Aposte na metodologia DevOps

Por mais que o DevOps esteja relacionado às organizações que possuem um departamento próprio e completo de TI, outras empresas podem apostar nessa metodologia para garantir agilidade na entrega de produtos e serviços.

A Embratel, por exemplo, possui uma solução DevOps no portfólio para que você consiga lançar uma aplicação com as melhores práticas de desenvolvimento e segurança. Descubra mais sobre a solução neste link.

Principais destaques desta matéria

  • DevOps é a integração dos times de desenvolvimento e de TI de uma empresa.
  • Objetivo é que aplicação seja lançada de forma ágil e segura, com o envolvimento das duas equipes desde os estágios iniciais.
  • Confira 5 benefícios de apostar em uma cultura DevOps na sua empresa.

Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *