Como desenvolver uma cultura DevOps

Como desenvolver uma cultura DevOps?

DevOps é um conceito que vai integrar equipe de software e de infraestrutura para desenvolver aplicações de forma ágil.

O cenário atual pede agilidade no desenvolvimento de projetos e na tomada de decisão. Se muitas empresas já aplicavam o conceito de DevOps dentro de suas operações, agora ficou mais evidente a necessidade de adotá-lo nos processos.

Até porque, DevOps é um conjunto de práticas e ferramentas que vão acelerar bastante a capacidade de uma organização de entregar rapidamente aplicativos de qualidade, independentemente se eles são para uso interno ou externo.

Isso é possível, porque as equipes de desenvolvimento e operações de TI vão trabalhar de forma consistente, cooperativa e ágil, substituindo o modelo cascata, em que os clientes só tinham uma visão do projeto nas etapas finais dele.

No entanto, quando um projeto é baseado em metodologia ágil, a empresa consegue fazer alterações, identificar e corrigir erros em qualquer etapa, reduzindo custos e ociosidade das equipes.

Sem contar que a comunicação é o principal pilar desse conceito. Se antes desenvolvedores de software e profissionais de infraestrutura não estavam alinhados, o DevOps vai acabar com esse ruído para dar lugar a uma integração contínua, evitando resultados negativos.

Por que adotar uma cultura DevOps?

Lembra do modelo cascata que comentamos no tópico anterior? Ele funciona da seguinte forma: as aplicações eram monolíticas e desenvolvidas para serem instaladas em um único lugar.

Porém, qualquer ajuste exigia uma atualização no servidor de hospedagem (um data center, por exemplo).

Com isso, a empresa tinha dois problemas:

  • A equipe de software desenvolvia uma aplicação sem conhecimento de como ela poderia ser implementada na infraestrutura.
  • Enquanto o time de operações não sabia como adaptar essa aplicação à infraestrutura do cliente.

O resultado era um projeto com falhas, com diversos processos repetidos para verificar, identificar e corrigir esses erros e atraso nas entregas.

No entanto, quando esse modelo tradicional dá lugar ao DevOps, essas duas equipes vão trabalhar em um ambiente padronizado de desenvolvimento. Isso vai permitir criar uma solução a partir de microsserviços utilizando tecnologias em nuvem.

Quando os projetos são baseados na computação em nuvem, além de manter a disponibilidade deles, é possível garantir elasticidade, escalabilidade e atualizações constantes sem comprometer o resultado final.

Assim, será possível perceber maior eficiência operacional, comunicação mais transparente dos projetos, redução de custos com TI, processos e fluxos de trabalho mais simples, automação de tarefas, entre outras vantagens dentro da empresa.

Como virar a chave para a metodologia ágil?

Mudar a cultura da empresa para uma baseada no conceito de DevOps pode gerar alguns desafios. Entretanto, apostar em parcerias pode ajudar nessa jornada de adotar as melhores práticas de desenvolvimento de aplicações.

No caso da Embratel, a companhia auxilia as empresas na integração de equipes e na otimização de processos para desenvolvimento e entregas ágeis de software. Essa consultoria vai permitir colocar em prática a adoção de automatização na construção das aplicações.

A solução DevOps da Embratel vai garantir uma “entrega constante e mais rápida de novos sistemas”, explica Mário Rachid, Diretor Executivo de Soluções Digitais da Embratel.

A oferta promove, ainda, mais qualidade e estabilidade ao software, por meio do monitoramento e verificação constantes do sistema desenvolvido.

Como funciona uma solução DevOps, como a da Embratel?

A implantação da solução é em etapas.

A primeira consiste em avaliar o funcionamento da estrutura atual do cliente, dos processos já implementados e das ferramentas utilizadas no desenvolvimento de software.

Nessa etapa, também são identificados quais os procedimentos das equipes de desenvolvimento, operação e segurança do cliente que poderão ser incorporadas à esteira DevOps para permitir maior qualidade e agilidade às entregas.

O passo seguinte é a proposta de um plano que vai considerar desde o desenvolvimento do software até a entrega ao usuário final. Após isso, as integrações entre desenvolvimento, testes, operações e segurança são codificadas, implementadas e testadas em conjunto.

Realizados os testes, a produção do software segue de forma automatizada. Assim, a empresa vai conseguir incorporar novos sistemas quando necessário.

Outras vantagens da solução

A solução da Embratel vai compreender ainda os módulos de Integração Contínua e Entrega Contínua, além de empregar a Infraestrutura como Código (também conhecida pela sigla IaaC). Alguns detalhes desses três pontos resumimos abaixo:

  • Integração Contínua: esse módulo vai automatizar alguns processos para facilitar o trabalho da equipe de desenvolvimento. O objetivo é eliminar os gargalos entre as etapas do projeto para que ele continue sem interrupções.
  • Entrega Contínua: após os testes automatizados, a aplicação será movida para o ambiente de produção (uma espécie de beta). Assim, usuários poderão testar o aplicativo, novas funcionalidades ou recursos e enviar feedbacks para que a equipe de TI faça os ajustes necessários.
  • Infraestrutura como Código (IaaC): é a automação do gerenciamento e desenvolvimento de infraestrutura por meio de códigos, sem necessitar de acesso físico ao hardware. Para garantir a segurança da informação integrada em todos os níveis do processo de desenvolvimento, a solução também conta com módulo de segurança (DevSecOps).

DevOps em tempo de quarentena

Pode até parecer que o alinhamento entre a equipe de software e de infraestrutura não seja consistente neste momento. Devido ao coronavírus, muitos profissionais estão de home office. Então, como garantir o desenvolvimento das aplicações nesse período?

No contexto de DevOps, sua empresa precisa capacitar os times com infraestrutura, ferramentas, processos e segurança necessários para manter a continuidade dos negócios. A computação em nuvem será a tecnologia responsável por isso.

A nuvem vai garantir que os times de TI consigam aproveitar toda a eficiência das ferramentas ágeis usadas no desenvolvimento de aplicações. Claro, pode não ser uma tarefa tão simples, mas a comunicação, pilar do DevOps, é a chave para os resultados positivos desses projetos.

Principais destaques desta matéria

  • DevOps é a prática de entregar com agilidade aplicações para os clientes.
  • Ao contrário do método cascata, projetos DevOps conseguem identificar e corrigir falhas em qualquer etapa, entregando projetos de qualidade.
  • Embratel lançou solução que ajuda empresas a automatizar processos no desenvolvimento ágil de aplicações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *