Transformação Digital

Como a realidade virtual pode entregar resultados reais na sala de aula?

22/04/2021

Tempo estimado de leitura: 4 minutos

Uso de realidade virtual leva novas formas de aprendizado, desbloqueando o potencial humano e levando conhecimento a um número maior de pessoas.

O setor da educação passou por uma transformação desde 2020. Apesar das instituições traçarem novas formas de compartilhar aprendizado (como o uso de conectividade para EAD), uma tecnologia pode fazer toda a diferença no fomento do saber: a realidade virtual (RV).

Como mostra um vídeo produzido pela Wired em parceria com a Fundação Qatar, a RV possibilita uma “aprendizagem prática e direta que pode ser mais eficaz do que o ensino tradicional baseado em livros didáticos.”

E quais possibilidades seriam essas?

Já pensou nos estudantes realizarem uma excursão para qualquer lugar do mundo, mas sem sair de casa? Ou de estudantes de medicina aprenderem como realizar uma cirurgia sem colocar em risco a vida de uma pessoa (no Brasil, uma startup usa RV para ensinar estudantes a aplicar ventilação mecânica)?

Do lado das empresas do setor, como desenvolver um currículo escolar que vá além do plano de aula tradicional e faça o cérebro absorver melhor o aprendizado? São perguntas que a realidade virtual pode ajudar a encontrar as respostas.

Assim, com a proximidade do Dia da Educação, celebrado 28 de abril, confira, a partir do vídeo da Wired, por que o uso de realidade virtual na sala de aula vai mudar totalmente a forma de como professores ensinam e alunos aprendem.

Por que a realidade virtual na educação é promissora?

Para responder à pergunta deste tópico, vamos voltar algumas décadas, mais exatamente a de 1960. Naquele período, o educador Edgar Dale apresentou o Cone da Experiência, uma classificação das diversas abordagens de aprendizagem – da mais eficaz à menos.

Na interpretação de Dale, o aprendizado baseado em texto é o menos eficaz. Para o educador, os alunos retêm somente 10% daquilo que é lido. No outro extremo, a experiência “prática” (geralmente simulada) faz com quem os estudantes absorvam 90% do que foi ensinado.

Se trouxermos esse conceito de Dale para a atualidade, a realidade virtual abrirá um leque de oportunidades para professores e alunos: a experiência poderá ser direcionada, modelada ou simulada para se aproximar o máximo de uma situação real.

Sem contar no senso crítico, aponta Mariam Rafehi, pesquisadora de design em RV da Northwestern University no Qatar. Em depoimento à Wired, ela destaca que a RV vai dar abertura aos alunos para que eles criem novas formas de pensar, além dos modelos já habituais.

Outra vantagem é que a tecnologia “oferece a oportunidade de compreender conceitos de uma forma que normalmente não seria acessível em um ambiente de educação tradicional”, analisa a pesquisadora.

RV democratiza o acesso educacional

O ensino tradicional pode limitar a experiência de aprendizado de uma pessoa por ela não poder sempre vivenciar, de forma prática, o que é ensinado. No entanto, ao usar a realidade virtual nas aulas, ter a tecnologia acessível gera um conhecimento mais profundo do que é ensinado.

FIQUE POR DENTRO: 4 projetos de realidade aumentada e realidade virtual promissores

“Quando você está em um ambiente de RV, você está fazendo algo com as mãos, está vendo, está sentindo, está experimentando em um nível muito mais profundo, e é assim que isso entra em sua memória”, explica Mariam Rafehi.

Ela destaca que a “a memória, o sentimento e o envolvimento emocional” ao usar a tecnologia vai permitir que uma pessoa “reflita sobre isso e tire suas próprias conclusões. E é assim que atingimos um nível de aprendizado muito mais profundo [com a RV].”

A realidade virtual provê ainda equidade, acredita Jeremy Bailenson, professor da Universidade de Stanford. No livro “Experience on Demand”, ele cita como a tecnologia democratiza a educação ao permitir um aluno acessar um espaço que não conseguiria por falta de recurso ou restrições físicas.

Um exemplo são crianças diagnosticadas com um determinado grau de autismo. Simulações em realidade virtual podem ajudá-las a desenvolver habilidades sociais ao criar um cenário o mais próximo do ambiente natural delas.

E o que as instituições estão fazendo

Já comentamos aqui no Mundo + Tech sobre uma universidade que desenvolveu um ecossistema de ensino baseado em diversas tecnologias. Uma delas é realidade virtual para criar simulações sem que os alunos precisem sair de suas casas.

Além dessa instituição, outras já olham para a tecnologia como uma oportunidade de transformar a educação. Uma delas citada no vídeo da Wired é a Taipei Medical University, em Taiwan.

A universidade construiu uma sala de aula de anatomia baseada em RV. Nesse ambiente, os alunos conseguem visualizar o corpo humano de novas maneiras que antes não eram tão evidentes quando estavam em um espaço físico.

Os benefícios dessa nova forma de interação educacional são positivos: além de simular diversos tipos de cirurgia, os estudantes conseguem obter maior competência cirúrgica dentro de um ambiente seguro e ético.

Já o Google enviou milhões de alunos em viagens de campo criados por RV. Alguns locais visitados “remotamente” foram o Monte Everest e o Louvre. Normalmente, esse tipo de atividade teria um custo proibitivo para a maioria das instituições de ensino fundamental e médio.

Os benefícios da RV na educação

O vídeo da Wired traz ainda pesquisas que mostram resultados positivos do uso de RV na educação. O estudo “The Impact of VR on Academic Performance”, de 2016, mostrou que alunos que usaram a tecnologia para aprender tiveram uma pontuação de 90% em um exame.

Enquanto isso, os estudantes que aprenderam o conteúdo pelos livros e aulas tradicionais pontuaram apenas 68%. A concentração também é outro fator benéfico: os alunos prestam atenção seis vezes a mais do que em aulas tradicionais.

É como cita o vídeo da Wired: “a realidade virtual tem a capacidade de desbloquear o potencial humano por meio de experimentação prática e pode levar essa capacidade a alunos que nunca teriam oportunidades sem ela”.

Principais destaques desta matéria

  • Setor da educação pode se transformar com a realidade virtual.
  • Uso da tecnologia pode democratizar o ensino, assim como levar novas maneiras de aprendizado.
  • Pesquisa mostrou que estudantes tiraram melhores notas e se concentraram mais ao aprenderem com RV.

Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

NEWSLETTER