Transformação Digital

Alguns mitos de gerenciamento de projetos que devem ser evitados

04/05/2021

Tempo estimado de leitura: 3 minutos

Em um mundo que pede agilidade, o gerenciamento de projetos vai exigir planejamento e execução com base nas melhores práticas para que se tenha sucesso.

O gerenciamento de projetos de TI vai exigir da liderança diversas estratégias para executar, da melhor maneira, uma iniciativa da empresa. É uma forma de trabalhar os times de forma holística para que todas as etapas tenham eficácia, resultando em maiores chances de sucesso. 

Porém, como em qualquer outra área, o departamento possui seus próprios desafios, regras e diretrizes para que um projeto dê certo. Assim aconteceu durante o ano de 2020, quando foi preciso tocar várias demandas de forma paralela para manter a continuidade das operações. 

Para muitos profissionais, isso significou tomadas de decisão ágeis, em um espaço curto de tempo, para não perder vantagem competitiva. Mas será que todas foram decididas corretamente? 

FIQUE POR DENTRO: 4 tendências em alta e 4 em baixa no gerenciamento de projetos de TI

Moira Alexander, colunista site CIO.com, listou 12 mitos que rondam o gerenciamento de projetos. Como ela destaca, reconhecê-los é “vital para garantir que os projetos sejam planejados, executados e concluídos com base nas melhores práticas — e não em equívocos.”

A seguir, confira cinco desses mitos.

Mito 1: O projeto será inviabilizado caso aconteçam mudanças no meio do caminho

O que muitas empresas viram em 2020 foi a interrupção das operações. Com isso, muitos projetos precisaram voltar para a gaveta, outros foram acelerados e houve mudanças na forma como eles são gerenciados. 

Algumas empresas adotaram novas ferramentas, outras empresas adotaram novos meios de trabalhar de maneira colaborativa. Para os gerentes de projeto, essas alterações podem significar medo, mas, ao mesmo tempo, levar a resultados positivos. 

“Mudanças nos processos e modos de comunicação podem criar oportunidades que talvez não tenham existido no passado, abrindo portas para novas formas de pensar e trabalhar”, escreveu Alexander. 

Ela destaca que ter uma mentalidade de adaptabilidade e agilidade ajuda a superar as necessidades de transformação.  

Mito 2: O projeto pode ser corrigido em sua totalidade

Gerenciar um projeto é buscar meios de executá-lo com sucesso. Ou seja, usando métricas e trabalhando em equipe para reduzir riscos, resolver conflitos e outros problemas. Porém, esses profissionais não podem consertar tudo. 

“É importante que os gerentes de projeto, partes interessadas (stakeholders) e patrocinadores reconheçam e aceitem quando é hora de encerrar uma tarefa ou iniciativa, em vez de investir mais recursos na tentativa de consertar uma causa perdida”, disse Moira Alexander. 

Como, então? Neste tempo de trabalho remoto, a escritora cita que a comunicação transparente e a identificação precoce (com o uso de métricas, por exemplo) são formas de reconhecer que um projeto não tem conserto. 

Mito 3: Os clientes sempre sabem o que querem

Essa é uma presunção que pode afirmar mais sobre o que os clientes/stakeholders esperam alcançar e não o que é realmente necessário para isso ou se aquilo que se deseja é viável. Nem sempre os projetos possuem uma realidade atingível e a pandemia, iniciada em 2020, é um exemplo disso. Mudanças imprevisíveis fizeram com que alguns projetos saíssem dos trilhos. 

Quando isso acontece, o gerente de projetos será uma peça essencial para uma nova avaliação de projetos e opções para atender às metas estratégicas dos stakeholders. “Um projeto pode errar o alvo com pouquíssimo esforço se não isolar o impacto das mudanças das necessidades pretendidas pelas partes interessadas”, diz a especialista 

Mito 4: A receita de sucesso para um projeto futuro é usar um modelo antigo

O trabalho remoto, impulsionado em 2020, resultou em comunicações e ferramentas diferentes das usadas dentro de um escritório. A forma como um projeto era gerenciado talvez não tenha mais tanta relevância em um novo modelo de trabalho. 

E usar a mesma abordagem de um projeto, técnicas, ferramentas, colaboração e metodologia, independentemente de quão bem ele foi planejado, não é garantia de sucesso, ressaltou Alexander. 

Segundo a especialista, quando tratados de formas iguais, alguns fatores internos e externos podem criar uma lacuna de um projeto para outro. São eles:

  • Tempo.
  • Processo.
  • Colaboração entre times.
  • Tecnologias usadas.
  • Cultura organizacional.
  • Entre outras.

Ou seja: por mais que características de um projeto anterior possam ser aplicadas em um novo, cada um deve ter a sua identidade, ser planejados e executados de forma independente.

Mito 5: Todos os gerentes conseguem executar projetos com sucesso

Apesar de os gerentes de projeto terem se profissionalizado a partir de um currículo educacional e de treinamento semelhantes, cada um tem sua própria experiência. Provavelmente, eles vão trazer abordagens e lições diferentes para uma iniciativa. 

Dentro de uma empresa, caso haja vários profissionais, eles devem ser avaliados de acordo com a expectativa do projeto. Assim, é possível identificar qual profissional pode atender às necessidades da companhia, dos clientes e de outras partes interessadas para um determinado projeto. 

Quer saber mais sobre gerenciamento de projetos? Confira estes artigos do Mundo + Tech abaixo: 

7 livros sobre gerenciamento para CIOs

5 metas que gerentes de projetos podem priorizar em 2021

Principais destaques desta matéria

  • Gerenciamento de projetos exige estratégias para que times consigam executar, com sucesso, uma iniciativa.
  • No entanto, quando a agilidade é uma necessidade, pode haver alguns entraves na tomada de decisão.
  • Moira Alexander, colunista do site CIO.com, destacou alguns mitos comuns que rondam os gerentes de projeto.

Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *