Transformação Digital

4 exemplos de empresas que tiveram sucesso na transformação digital

22/01/2020

Tempo estimado de leitura: 5 minutos

Sucesso da transformação digital envolve parceria entre CIO e CEO e disrupção em todas as áreas de uma empresa, não ficando somente no setor de TI.

A transformação digital mudou a interação entre o CIO e CEO de uma organização. Agora, os responsáveis pelo setor de TI têm a missão de encontrar meios de impulsionar uma vantagem competitiva no mercado e, claro, gerar novas formas de receita.

No entanto, não é papel do CIO digitalizar a própria área. Pelo contrário, a tecnologia é um meio para a disrupção dos negócios e esse líder deve buscar maneiras de inovar constantemente cada área da empresa, ao invés de somente colocar um projeto em prática e seguir para o próximo.

Mas manter essa constante só vai ser possível quando a empresa também mudar a cultura organizacional. Como iniciar então essa mudança?

Já falamos aqui no Mundo + Tech sobre metodologias ágeis, que trazem velocidade e inovação para os negócios. Apostar nesse conceito é conseguir diagnosticar problemas nos projetos de transformação e resolvê-los de forma multidisciplinar com maiores chances de sucesso.

Além das metodologias ágeis, companhias que tiveram sucesso na transformação digital apostaram em quatro áreas para gerar valor para os negócios, segundo um estudo da Harvard Business Review. Essas áreas são:

1. Produtos digitais e modelos de negócios:
A General Electric (GE) fez uma mudança na área de venda de equipamentos. Ela passou a fornecer máquinas inteligentes capazes de fornecer duas informações:

  • O desempenho de cada máquina;
  • Como otimizar o desempenho de cada máquina.

Mas essas informações de desempenho são vendidas à parte. Ou seja, além de comercializar as máquinas, a GE também comercializa os dados armazenados dela.

Isso fez a receita da GE crescer e, segundo a IDC, fechar em quase o dobro da receita do restante do portfólio no ano fiscal de 2017.

2. Operações digitais:
A CVS Health, companhia norte-americana do setor de saúde, transformou todas as áreas: da cadeia de suprimentos ao engajamento do cliente.

Isso permitiu aos CIOs contribuírem significativamente na tomada de decisão para melhorar os negócios, como no desenvolvimento de novos produtos para vender aos clientes da organização.

3. Vendas de software:
Muitas companhias que investem em transformação digital também pensam em desenvolver seus próprios softwares.

São aplicações para uso interno, mas muitos CIOs encontraram um fluxo de receita ao refatorar (reestruturar a programação, mas sem alterar o comportamento externo) esses softwares.

Um exemplo é a Union Pacific, companhia de transporte, que administra uma subsidiária para alterar o design de uma aplicação e vender para terceiros.

4. Serviços de TI:
A Land O’Lakes, cooperativa da área de agricultura, lançou um negócio em 2016 para fornecer serviços de TI para varejistas agrícolas em todo o território dos Estados Unidos.

É uma plataforma que oferece recursos avançados, quase em tempo real, para os agricultores. Assim eles conseguem analisar o histórico e a produtividade das plantações.

Por meio de um aplicativo móvel, esses agricultores podem selecionar as sementes certas com base nos dados colhidos pela plataforma.

Veja 4 exemplos de sucesso na transformação digital

Você sabe bem que a transformação digital da sua empresa tem maior chance de sucesso quando o CIO está próximo ao seu negócio.

Nas quatro áreas citadas acima, é possível perceber que a disrupção não aconteceu apenas na área de TI, mas em todos os setores com projetos que trouxeram uma perspectiva comercial.

Foi com esse pensamento que outras companhias conseguiram gerar novos modelos de negócio e receitas, como trazemos nos exemplos abaixo:

1. Anheuser-Busch InBev (AB InBev)

A transformação digital da AB InBev, conglomerado do setor cervejeiro, envolveu não só o grupo, mas também os quatro milhões de parceiros varejistas no mundo inteiro.

A multinacional desenvolveu o B2B, um aplicativo mobile voltado para os operadores de bebidas, lojas de conveniência e do varejo.

Com a plataforma, é possível fazer pedidos para repor o estoque. O B2B ainda conta com um algoritmo para que o time de vendas da AB InBev sugira novas marcas e produtos para os donos dos estabelecimentos.

Outra iniciativa da companhia foi o Beer Garage, um laboratório de inovação tecnológica inspirado no Vale do Silício (Estados Unidos). O espaço utiliza Inteligência Artificial, Machine Learning e Internet das Coisas (IoT) para criar melhores experiências aos clientes e consumidores.

Falando em IoT, a tecnologia tem sido usada para monitorar a quantidade, qualidade, temperatura e outras características dos lotes de cerveja.

Quando o assunto é o omnichannel, a AB InBev adotou uma plataforma para monitorar as mídias sociais e outros canais para aprender como os consumidores percebem as marcas da companhia. A intenção é identificar o sentimento do consumidor e criar conteúdo de qualidade para ele.

2. Vendas e Serviços de Engarrafadores da Coca-Cola (CCBSS)

As Vendas e Serviços de Engarrafadores da Coca-Cola (CCBSS) são uma sociedade limitada que pertence a certa de 70 engarrafadores e cooperativas de produção do grupo Coca-Cola.

Para ajudar na digitalização de documentos para essas 70 engarrafadoras, as CCBSS adotaram uma plataforma de Machine Learning que processa os arquivos com maior precisão e agilidade, gerando maior eficiência e permitindo que os colaboradores se concentrem em outras tarefas.

A expectativa das CCBSS é que essa transformação digital reduza erros na digitalização, antes feita por pessoas, atinja 25 milhões de documentos por ano, gerando uma economia de US$ 1 milhão.

3. Johnson Controls

A multinacional especialista em eficiência predial e automotiva apostou em um ecossistema de tecnologias para impulsionar a transformação digital:

  • Computação em nuvem;
  • Edge Computing;
  • Analytics;
  • Cibersegurança;
  • Robotic Process Automation (RPA);
  • Blockchain.

Assim, a Johnson Controls espera automatizar e proteger as operações da empresa para proporcionar experiências e a segurança que os clientes exigem.

Para isso, a companhia também promove um networking entre os funcionários e startups e grandes empresas de tecnologia no Vale do Silício (Estados Unidos) com o objetivo de encontrar novos parceiros que apoiem a estratégia digital da Johnson.

4. McKesson

A McKesson é uma empresa de soluções de tecnologia em assistência médica. Para levar a melhor experiência ao paciente, a companhia começou a migrar para nuvem os dados armazenados em data warehouses (uma espécie de depósito de dados).

Com essa migração, a companhia quer extrair insights da mineração de dados para ir além de análise descritiva e preditiva. A ideia é fazer recomendações prescritivas diretamente ao paciente.

Para a equipe de TI, a McKesson espera também que os especialistas em dados tenham voz nas operações da companhia. Por isso ela tem capacitado esses profissionais para traduzir os insights e interpretá-los em uma linguagem de negócios.

Inovar é equilibrar tecnologia e negócios

Com esses exemplos já deu para perceber que a disrupção de uma companhia é encontrar um equilíbrio entre a área de TI e a de negócios.

O estudo da Harvard Business Review cita quatro pensamentos que os CIOs e CEOs devem ter para essa transformação digital:

  1. Adotar uma mentalidade de produto – pensar na adoção, suporte e evolução do cliente e não somente no projeto.
  2. Aumentar a velocidade do desenvolvimento e entrega (metodologias ágeis).
  3. Contratar, desenvolver e reter profissionais excepcionais.
  4. Colaboração entre líderes (CIO, CEO e de outras áreas).

Por fim, como destaca o estudo, você deve pensar que nem sempre a redução de custos vai levar a inovação ao seu negócio. A criação de novos produtos ou novas formas de operações internas só acontece quando você trabalha de uma forma multidisciplinar e envolvendo também colaboradores abaixo dos C-Levels.

Principais destaques desta matéria:

  • Transformação digital em uma empresa não acontece somente na área de TI;
  • É preciso um trabalho multidisciplinar entre CIO e CEO;
  • Confira alguns exemplos de companhias que tiveram sucesso na jornada de inovação.

Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *