Transformação Digital

4 aceleradores de negócios digitais para sua empresa continuar inovando

29/12/2020

Tempo estimado de leitura: 4 minutos

Após a transformação digital impulsionada pela pandemia, empresas agora querem dar continuidade a essa jornada. Confira como aprimorar os negócios digitais.

A pandemia exigiu uma resposta rápida para as empresas. Muitas precisaram, em poucos dias, criar um comércio eletrônico, manter um relacionamento remoto e sem contato físico com o cliente, e/ou se adaptar ao home office.

Como bem destacou Satya Nadella, CEO da Microsoft, “vimos dois anos de transformação digital em apenas dois meses”. Esse esforço até gerou resultados positivos, tanto para empresas com foco no B2C quanto no B2B.

Por exemplo, Walmart e Target, fortes no B2C, viram um aumento de 20% nas vendas em março de 2020, nos primeiros meses da pandemia, segundo a Gartner. As duas varejistas foram ágeis em escalar seus respectivos e-commerce eaceleraram a estratégia de recuperação em resposta à pandemia.

Já a DNV GL, uma marca B2B de certificação e credenciamento, aumentou a capacidade de conduzir inspeções digitais para seus clientes durante o distnciamento social.

Na opinião de Kristin Moyer, vice-presidente e analista distinto da Gartner, passado o momento de adaptação, os CEOs agora desejam acelerar os negócios digitais. “Há um impulso [em querer acelerar], mas a verdadeira questão é: como ir mais rápido?”.

Assim, a Gartner identificou 4 aceleradores de negócios digitais que ajudarão os CEOs na tarefa de dar um upgrade nesta jornada. Confira.

Acelerador 1: Vencendo diferente

Muitas empresas descobriram novos clientes e outras fontes de demanda com a pandemia. Para algumas organizações, o momento foi de desenvolver novos produtos e oportunidades usando sistemas já existentes.

Agora, indica a Gartner, será o momento para explorar novos modelos de negócios, modelos operacionais e plataformas para colocar em práticas essas oportunidades. Algumas medidas devem ser tomadas para empresas que querem ter sucesso a curto, médio e longo prazo:

– Correções rápidas:
. Entrevistar os clientes sobre as necessidades atuais e seus desafios.
. Falar diretamente com os consumidores por meio de uma central de atendimento.

– Táticas inteligentes:
. Promover a digitalização e inteligência mais profundas em produtos já existentes.
. Permitir interações digitais e sem contato, mas de forma 100% humana.

– Novas direções:
. Criar um laboratório de ideias para explorar oportunidades adjacentes ao negócio principal da empresa.
. Desenvolver um conteúdo para mostrar as iniciativas digitais dentro da indústria a qual a empresa está ligada.

Acelerador 2: Libere multiplicadores de força

Como explica a Gartner, um multiplicador de força é “uma ação que aumenta o momentum. Podem vir por meio de ações internas, como uma oficina de inovação de modelo de negócios. Ou externas, como uma aquisição que permite mudanças em novos mercados ou de produtos”.

As três etapas para liberar esses multiplicadores de força são:

– Correções rápidas:
. Pedir a cada membro do conselho para trazer um exemplo de um negócio digital que os impressionou para a próxima reunião do conselho fiscal.
. Organizar workshops de criatividade em digitalização de produtos.

– Táticas inteligentes:
. Lançar um desafio de inovação aberta com foco em novas oportunidades de produtos digitais.
. Rascunhar uma estratégia inversa, estabelecendo o que a empresa não fará e o que ela não será.

– Novas direções:
. Fazer alianças com um parceiro nativo digital no modelo white-label (em que um produto ou serviço desenvolvido por uma empresa é revendido por outra sem divulgação dos direitos autorais).
. Capacitar tecnólogos de negócios (funcionários fora do ambiente de TI que possuem habilidades técnicas) com autoatendimento, automação e reutilização.

Acelerador 3: Banir arrastos

Arrasto é uma força negativa, interna ou externa, que adiciona fricção aos negócios, conceitua a Gartner. Por exemplo, interrupções na cadeia de suprimento ou paralisações governamentais (externo) e processos desatualizados ou sistemas legados (interno).

Entre as ações para banir os arrastos, a Gartner sugere:

– Correções rápidas:
. Reconsiderar programas em grande escala, pré-crise e não digitais.
Fortalecer a produtividade digital usando hacks culturais*.

*Nota da redação
Hacks culturais são pequenas ações desenvolvidas para que líderes e colaboradores identifiquem pontos vulneráveis na cultura organizacional, conseguindo transformá-la em mudanças reais.

– Táticas inteligentes:
. Usar RPA (saiba mais sobre a tecnologia aqui) para conduzir uma automação de backoffice ainda mais profunda.
. Encurtar a distância de decisão removendo etapas e intermediários que se interpõem entre especialistas e tomadores de decisão.

– Novas direções:
. Alinhar o design de produtos e serviços com a forma com que esse trabalho é feito.
. Formalizar como os processos podem ser flexíveis, criando limites para autonomia, permitindo um colaborador continuar a esteira de produção com consentimento, em vez de esperar um “ok”, o que pode gerar atrasos no cronograma.

Acelerador 4: Redirecionar recursos

Investimentos em transformação digital, vez ou outra, podem demorar a sair ou se justificar. Para líderes da área, a expectativa é que o que foi economizado em viagens e entretenimento (por conta das imposições de uma crise sanitátia), deveriam estar voltadas para o crescimento em inovação.

Esses recursos financeiros podem ser redistribuídos usando as seguintes táticas:

– Correções rápidas:
. Interromper canais ou iniciativas não digitais.
. Congelar melhorias em programas que serão menos essenciais em um mundo que precise conviver com a Covid-19.

– Táticas inteligentes:
. Fechar parceria com empresas e/ou profissionais terceirizados para que eles fiquem com a demanda complexa dos trabalhos de sourcing.
. Criar um mercado de talentos para combinar as habilidades internas com as iniciativas que precisam delas.

– Novas direções:
. Dimensionar aluguéis de bens imóveis e ativos para uma força de trabalho híbrida.
. Vender ativos legados ou unidades de negócios que não estejam alinhadas com o futuro digital da empresa.
. Usar o que foi economizado em um ano sem viagens e eventos para acelerar o uso de computação em nuvem.

Principais destaques desta matéria

  • Pandemia fez muitas empresas virarem a chave para dar continuidade aos negócios.
  • Após um período de inovação, elas buscam agora como continuar com essa jornada.
  • Gartner lista 4 aceleradores de negócios digitais que vão ajudar as companhias nessa estratégia.

Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *