Transformação Digital

2 exemplos de empresas que adotaram a metodologia ágil e tiveram sucesso

11/02/2021

Tempo estimado de leitura: 5 minutos

Empresas precisaram se reinventar com a pandemia de COVID-19 e a metodologia ágil é uma abordagem que permite acompanhar as mudanças do mercado.

Acompanhar a tecnologia, seja ela qual for, e suas atualizações nem sempre foi uma prioridade para algumas empresas. Isso até a pandemia de COVID-19 exigir uma transformação dos processos organizacionais e modelos de negócio.

As decisões, que já precisavam ser ágeis em um cenário sem pandemia, se tornaram um divisor de águas: tê-las praticamente em tempo real era (quase) uma certeza de continuidade dos negócios e vantagem competitiva.

Porém, a sobrevivência em um cenário de tantas incertezas trazidas pelo novo coronavírus não dependia apenas das tecnologias adotadas. As empresas precisavam ser ágeis. Portanto, muitas organizações viram a oportunidade de adotar a metodologia ágil em seus processos.

Neste artigo do Mundo + Tech, você descobre mais como a abordagem ágil vai permitir sua empresa se reinventar rapidamente.

Como destaca um artigo da McKinsey, praticamente todos os setores podem se aproveitar do desenvolvimento ágil.

– Varejo: um squad pode ser designado para impulsionar o volume e a margem de um determinado produto ou serviço.

– Telecom: um squad pode desenvolver recursos para o aplicativo de uma operadora e facilitar o atendimento ao cliente.

– Mineração: as empresas do setor podem fazer uso dos squads para criar operações mais seguras e eficientes ao capacitá-los em operações, manutenção e engenharia.

Abaixo, você confere dois exemplos trazidos pela McKinsey de empresas que se tornaram ágeis durante a pandemia e conseguiram virar a chave nos negócios.

1. Seguradora levou agilidade além da TI

Uma seguradora europeia já atuava há anos com metodologia ágil nas equipes de TI e digital. Porém, em 2020, ela decidiu transformar sua sede em uma operação totalmente ágil. Isso envolveu produtos, marketing, dados, jornada do cliente, preços etc.

Esse novo formato trouxe times multifuncionais e responsáveis pelo desempenho de longo prazo de produtos e jornadas e pela divulgação trimestrais de objetivos e resultados. No entanto, em meio ao novo design de trabalho, a pandemia exigiu que as equipes fossem para casa.

Isso se tornou um desafio, uma vez que a empresa precisou decidir como iniciar essa jornada de transição. A solução foi avançar com o trabalho remoto e lançar uma academia virtual para capacitar essas pessoas em escala.

Os aprendizados dessa seguradora

1. Desenvolver recursos por meio de jornadas:

Treinamentos em espaço físico podem ser feitos rapidamente em um ou dois dias para entregar as principais mensagens sem gastar muitos recursos. No caso do trabalho remoto, a seguradora distribuiu o aprendizado em três meses antes do lançamento da academia virtual.

Além dos colaboradores conseguirem acessar um conteúdo totalmente digital e com curadoria, eles puderam participar de sessões de treinamento que cobriram tópicos-chave individuais durante o treinamento virtual.

2. Investir em conteúdo e experiências de alta qualidade

Nos ambientes presenciais, encontrar um grupo de pessoas entusiastas ode inspirar os participantes a aprender. Além disso, as discussões em grupo ajudam a construir o conhecimento necessário. O desafio é criar essa mesma experiência em treinamentos remotos.

Na seguradora, a sensação de entusiasmo foi criada a partir de jogos virtuais reproduzidos em videoconferências; vídeos de treinamento de alta qualidade; sessões com palestrantes externos envolventes e ajuda profissional para garantir que todos façam as perguntas certas.

3. Transformar para aumentar o engajamento

Depois de trabalhar remotamente por meio ano, muitos funcionários começaram a dar sinais de que não estavam tão “conectados” a empresas. Foi então que a metodologia ágil entrou na jogada para melhorar este cenário.

A abordagem foi uma maneira para as pessoas aprenderem novas habilidades, encontrarem pessoas que compartilham da mesma visão e integração para trabalharem juntas. Isso aumentou o nível de engajamento dos colaboradores.

2. Logística e operações de uma empresa de vestuário se tornaram ágeis

Uma empresa de artigos esportivos decidiu adotar a metodologia ágil em grande escala em 2020. No primeiro momento, ela lançou uma unidade ágil com dez squads multifuncionais nas áreas de logística e operações.

A missão era repensar toda a cadeia de valor do cliente sem precisar trabalhar de maneira isolada. Ou seja, entender como cada setor responsável pela cadeia de suprimentos poderia atuar integrado com outro.

Quando a COVID-19 atingiu as operações, as primeiras equipes ágeis já estavam em treinamento e integração. Isso fez a empresa repensar o lançamento desse modelo. Em vez de recuar, os times seguiram em frente, acreditando que isso poderia acelerar a mudança na cadeia de suprimentos.

Três meses depois, o esforço rendeu resultados. A empresa recuperou rapidamente as vendas e o engajamento entre os membros da equipe ficou em alta.

Os aprendizados que essa decisão trouxe

1. Estabelecer um modelo operacional transparente para as equipes

Nos ambientes remotos, cada equipe deve estar a par do modelo operacional. A empresa precisa deixar claro algumas premissas, como por exemplo, as normas de equipe (ou seja, comportamento esperado), os ritmos dos sprints e os meios de comunicação (ferramentas, como as decisões devem ser tomadas etc.).

É preciso também, antecipadamente, chegar a um consenso sobre quais medidas devem ser tomadas quando os colaboradores do time não agem como o esperado ou as coisas não saem como planejadas.

2. Parar de começar e começar a terminar

Um ritmo sustentável deve ser mantido para que os times consigam ter foco nas coisas importantes. Isso ajuda a concentrar a visualizar o fluxo de trabalho: do início de uma ideia até o momento em que uma equipe decide que o trabalho foi concluído.

Essa abordagem cria transparência e ajuda as equipes a agirem juntas para resolver problemas existentes antes de recorrer a novos.

3. Tornar a equipe verdadeira

O elemento final e mais importante de equipes de sucesso é uma forte cultura de integração. Para isso, as pessoas podem dedicar um tempo para trocar conhecimentos e construir conexões, que vão ajudar no engajamento diário das demandas.

É interessante reservar um tempo nas reuniões virtuais para conversas informais, como as que aconteciam nos corredores ou durante um café no período pré-COVID. Isso serve para motivar e energizar as equipes.

Como começar uma cultura ágil na empresa

Esses dois exemplos abordados pela McKinsey mostram que é possível mudar os modelos operacionais com a metodologia ágil mesmo quando os colaboradores estão remotos. A consultoria ainda deu quatro dicas para começar essa jornada:

  1. Não pular o ABC: antes de adotar a metodologia, é preciso pensar por que você a quer na sua empresa. Quais são as metas que você deseja atingir? Qual valor espera criar? Como saber que alcançou os objetivos? Ser uma empresa ágil não é apenas estudar e se apoiar em especialistas, mas conversar com executivos que já tem maturidade nessa abordagem.
  2. Começar com um piloto: lançar projetos pilotos pode ajudar a empresa a entender quais ganhos reais a área escolhida teve. Assim, a organização consegue lançar equipes ágeis que vão auxiliar, a partir do caso de sucesso, na construção de um modelo operacional que funcione remotamente.
  3. Promover mudanças holísticas: principalmente nos aspectos humanos. Desenvolvimento ágil não é novas estruturas de relatórios e post-its, mas ter pessoas engajadas e tecnologias que as capacitem para um modelo dinâmico e decisões rápidas.
  4. Colocar pessoas acima de processos: o Agile é uma mudança fundamental na cultura e nas expectativas. Para os colaboradores, essa jornada precisa ser transformadora e não perturbadora. O trabalho remoto aumenta a necessidade de dobrar a comunicação, para apoiar as conexões entre humanos e para oferecer suporte prático às pessoas durante essa transição.

Principais destaques desta matéria

  • Metodologia ágil permitiu empresas reinventarem seus modelos de negócio durante pandemia.
  • Abordagem, ligada bastante ao universo de TI, pode ser inserida em vários setores.
  • Confira 2 exemplos que empresas que se tornaram ágeis e 4 dicas para iniciar essa jornada.

Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

NEWSLETTER