Segurança

Quais erros o seu time precisa evitar em nome da segurança dos dados

19/05/2020

Tempo estimado de leitura: 3 minutos

Cultura do home office é nova para alguns colaboradores, que podem cometer pequenos erros colocando a segurança de dados da empresa em xeque.

O conceito de home office se tornou chave em diversas empresas, fomentando a discussão sobre a segurança de dados. Desde o início da pandemia do coronavírus, muitos colaboradores passaram a trabalhar de forma remota – e alguns deles pela primeira vez.

No entanto, as precauções de segurança não podem ser deixadas de lado. Ainda mais quando o lar foi transformado em um espaço de coworking. Ou seja, a conexão doméstica provavelmente pode ser compartilhada com outras pessoas.

Já mostramos aqui no Mundo + Tech como uma solução MDM, que vai gerenciar os dispositivos, se torna mais uma camada de segurança para evitar vulnerabilidades no home office. Porém, colaboradores podem ser o maior desafio das empresas para mitigar invasões.

Por que isso acontece?

São algumas variantes: a residência dos colaboradores se torna um novo ambiente, principalmente para os que nunca trabalharam de forma remota. Além disso, a liberdade de fazer o próprio horário e algumas distrações podem contribuir para brechas de segurança.

Abaixo, separamos alguns erros comuns, levantados pelo site InformationWeek, que colaboradores cometem, colocando em risco os dados confidenciais da empresa.

1. Usando uma rede doméstica insegura

A menos que os colaboradores tenham conhecimento técnico, eles podem não ter consciência de que as redes domésticas são bem menos seguras. Ainda mais se comparadas as utilizadas no ambiente corporativo.

No home office, o Wi-Fi pode ser um vilão. Pode ser que a sua empresa tenha orientado os funcionários a não usar redes públicas e abertas para evitar invasões. No entanto, os mesmos perigos encontrados lá podem estar também na rede doméstica.

Por isso a importância de contar com uma rede virtual privada (VPN), que irá permitir a conexão virtual e segura para a troca de dados entre a casa do funcionário e a rede da empresa.

2. Movendo dados para dispositivos pessoais

Nem todo funcionário utiliza uma máquina da empresa para trabalhar. Com a quarentena acelerando uma digitalização, muitos colaboradores tiveram que utilizar o próprio dispositivo. Entretanto, acabam salvando documentos e arquivos corporativos no aparelho.

Embora esses dispositivos pessoais tenham, ou não, algum tipo de antivírus instalado, as ferramentas e mecanismos de segurança implementados são, sem dúvida, muito menos seguros do que os encontrados em um PC comercial.

Afinal, a segurança é a principal razão pela qual os funcionários podem levar seus dispositivos corporativos para casa em primeiro lugar. Se isso não está sendo aplicado em notebooks e smartphones pessoais, é certamente um motivo de preocupação.

3. Compartilhando credenciais em ferramentas não homologadas

O trabalho remoto dispersou várias equipes, que agora passam a se reunir em videochamadas. Mas isso também fez atrasar mais a entrega de briefings e outros documentos necessários para finalizar as demandas do dia.

Esse atraso fez muitos colaboradores compartilharem credenciais de acesso, links de arquivos na nuvem, entre outras coisas em ferramentas não homologadas pela empresa. Por exemplo, quem nunca recebeu uma demanda via WhatsApp quando deveria ser entregue pelo Microsoft Teams? Ou recebeu um arquivo pesado em um serviço de compartilhamento de grandes arquivos?

Se no “antigo normal” os funcionários já buscavam suas próprias ferramentas de colaboração, a realidade não tem sido muito diferente nesse período de home office. Ainda mais quando essas aplicações prometem facilidades e são desenvolvidas para serem acessadas de qualquer lugar.

4. Postando o expediente nas redes sociais

Desde o início do isolamento social, o mundo pessoal e profissional se tornou praticamente um só. Como consequência, os colaboradores passaram a postar mais nas redes sociais como é o dia a dia em um novo modelo de trabalho.

O problema é que a equipe de TI precisa mapear essas publicações, porque os colaboradores deixam vazar informações, de forma consciente ou não, do trabalho. Por exemplo, foto mostrando a tela do notebook que pode conter alguma informação sensível.

Como garantir a segurança de dados no home office?

As empresas possuem algumas abordagens para evitar vazamentos e garantir a segurança de dados durante o período em que o home office for regra. Uma delas é a implementação de ferramentas que tragam maior visibilidade e controle do que o colaborador faz na máquina.

A Embratel, por exemplo, possui um portfólio completo de soluções de segurança digital para esse período de trabalho remoto, como você pode ver neste infográfico.

Outra abordagem é o treinamento das equipes. Ele pode ser adaptado especificamente para situações de home office. Afinal, na maioria dos casos, os funcionários estão causando violações de segurança sem nem perceber.

Por fim, a segurança deve ser prioridade para a sua empresa nesse período de isolamento. Confira um episódio do Embratel Talks, webinar da Embratel, sobre os desafios atuais da segurança cibernética.

Principais destaques desta matéria:

  • Home office exige diversas precauções de segurança de dados nas empresas.
  • Até porque, colaboradores podem comprometer operações se não tiverem certos cuidados.
  • Confira alguns erros que funcionários cometem que podem abrir vulnerabilidades.

Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *