Segurança

Governança de dados: 6 dicas de melhores práticas para sua empresa

29/07/2021

Tempo estimado de leitura: 4 minutos

Cada vez mais relevante na estratégia das empresas, a governança de dados precisa garantir que os ativos sejam confiáveis, seguros e disponíveis ao negócio.

A governança de dados está no radar de muitas empresas. Você sabe o que é essa disciplina e como usá-la a favor dos seus negócios? O Mundo+Tech explica neste post.

O Data Governance Institute define governança de dados como um “sistema de direitos de decisão e responsabilidades para processos relacionados à informação.”

Esse sistema, quando executado, vai operar de acordo com os modelos definidos pelos departamentos de empresas. São esses modelos os responsáveis por dizer quem pode realizar determinado projeto, quais e como os dados serão usados para ele.

Sem uma estratégia de governança de dados, seu negócio pode correr o risco de usar dados de baixa qualidade, difíceis de usar, sem integridade e vulneráveis a ameaças de cibersegurança. Sem contar que eles podem não estar disponíveis quando for a hora de tomar uma decisão.

A governança de dados é ainda mais fundamental em momentos como este, quando as companhias precisam encarar grandes volumes de dados, processá-los e armazená-los corretamente, além de deixá-los em conformidade com leis regulatórias – como a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD).

Tudo isso tem um objetivo: as empresas usarem os melhores dados para criar novos produtos e serviços. A preocupação pela governança é refletida nas projeções feitas por consultorias. A Markets and Markets, por exemplo, acredita que até 2025 o mercado global de governança de dados terá uma taxa composta de crescimento anual (CAGR) de 22% por ano — chegando a US$ 5,7 bilhões.

Se você pretende ou já usa soluções de governança, aqui vão 6 dicas publicadas no site CIO.com para manter os dados seguros enquanto consegue extrair os melhores insights deles.

Dica 1: Identificar os dados críticos e tratá-los como recurso estratégico

Nem todos os dados são iguais no quesito importância para a organização. Uma boa governança de dados abre possibilidades de saber quais aspectos da infraestrutura de dados são mais críticos para os negócios.

O primeiro passo dessa estratégia é entender o “tamanho” da importância das informações para o sucesso do negócio. Isso pode ajudar a criar uma cultura que ofereça suporte à governança de dados, inclusive nos níveis mais altos da organização.

Dica 2: Todo o ciclo de vida dos dados deve ter políticas e procedimentos definidos

O ciclo de vida de um dado acontece da seguinte maneira: ele é criado por uma fonte, limpo, atualizado, armazenado, analisado, transmitido, feito backup, excluído e tudo começa outra vez.

Existem pontos de contato potenciais [pessoas e sistemas com hierarquia de acesso aos dados] em cada etapa do ciclo de vida. Administrar bem os dados durante esses vários estágios vai exigir políticas e procedimentos em vigor para cada estágio.

Por exemplo, quando uma empresa tem visibilidade de toda a sua infraestrutura e os sistemas de dados conectados a ela e os responsáveis por esses sistemas, ela consegue criar um histórico sempre que alguém alterar o dado – facilitando auditorias e outros pontos de verificação.

Dica 3: Time de negócios deve estar envolvido

A equipe de negócios é uma das maiores beneficiárias de uma boa governança de dados. Isso porque colaboradores e líderes da área podem ter dados de alta qualidade para tocar as demandas.

Daí a importância de envolver o time de negócio no processo de governança – se e quando fizer sentido. Além de compartilhar conhecimento, cada área é a mais indicada para catalogar seus próprios dados e isso pode ser usado para identificar problemas que nem todos conseguem ver.

Dica 4: Gerenciamento de dados mestre não deve ser negligenciado

Gerenciamento de dados mestre (MDM, na sigla em inglês para master data management) é um conjunto de disciplinas, processos e tecnologias para gerenciar dados sobre ativos, como produtos e clientes, em torno dos quais os negócios são conduzidos.

No caso do MDM, ter uma governança de dados para ele leva a uma maior eficácia, consistência e precisão dos dados. Isso pode ser feito a partir de uma padronização e/ou referência cruzada de dados mestre.

Vale ressaltar que o time responsável pelo MDM deve ser capaz de ter uma função de negócios que atravesse vários departamentos, em vez de ser algo somente da equipe de TI.

Dica 5: Compreenda o valor da informação

É bom sempre lembrar: a governança de dados não reflete necessariamente o valor real dos insights obtidos a partir das informações geradas por esses elementos. Até porque, a informação é a integração de vários dados, permitindo criar um valor para a empresa.

Ou seja, a governança de dados precisa também classificar a informação, já que é ela que vai indicar o valor para a empresa e o impacto caso de perda, roubo e destruição. Um exemplo é catalogar a informação que um colaborador enviou do e-mail corporativo para o pessoal.

Por isso a governança de dados exige o detalhamento de quem tem acesso a quais informações, o valor que elas têm para a empresa, clientes, funcionários, parceiros etc.

Dica 6: Uso dos dados não deve ser restringido

As informações têm valor competitivo ao mesmo tempo que trazem riscos significativos de segurança e privacidade. Portanto, é comum ver líderes de TI querendo restringir a distribuição e o uso dos dados. Assim a governança de dados pode ser vista como uma disciplina negativa.

Nesse sentido, a empresa acaba desestimulando a inovação, a não adotar tecnologias em suas operações e a não ver o potencial de valor que o negócio pode trazer. Porém, o que a governança quer é fornecer acesso fácil e seguro às informações pertinentes a um projeto.

Por fim, a governança de dados tem o objetivo de identificar os problemas e saber como responder a eles, permitindo ter uma visão de como os dados são usados até mesmo para resolver esses mesmos problemas encontrados.

Principais destaques desta matéria

  • Governança de dados é ter uma visão holística dos dados e saber quais serão necessários para resolver um problema.
  • Expectativa é que mercado global chegue a US$ 5,7 bilhões até 2025.
  • Confira 6 dicas para criar uma boa estratégia de governança para a sua empresa.

Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *