Segurança

Como anda a vulnerabilidade da segurança na sua empresa?

03/09/2020

Tempo estimado de leitura: 5 minutos

Descubra como cuidar da segurança dos dados da sua empresa

Dados têm se tornado o principal ativo das empresas. Se, por um lado, eles fomentam a inovação, por outro, são uma oportunidade para cibercriminosos explorarem a vulnerabilidade da segurança de uma organização.

Aliás, qual é a maturidade da sua empresa quando o assunto é segurança dos dados?

A transformação digital tem impulsionado o desenvolvimento e a adoção de aplicativos, plataformas web e diversas tecnologias para agilizar e otimizar os processos. Ainda mais em um momento em que o home office está em vias de se tornar rotina na vida dos colaboradores.

No entanto, nessa corrida pela inovação, as empresas nem sempre se atentam para algo tão importante quanto o ambiente digital: a infraestrutura. Sim, ela é também um vetor de brechas na segurança, colocando os negócios em risco.

E o motivo é simples: servidores, desktops, notebooks, switches, roteadores e tantos outros dispositivos tecnológicos nem sempre recebem a atenção que merecem quando o assunto é segurança da informação.

Vale destacar que o fator humano tem um papel de responsabilidade aqui, porque um pequeno deslize do colaborador pode deixar até mesmo as empresas mais maduras sujeitas às falhas de segurança.

Nesses momentos, realizar uma análise de vulnerabilidade e um teste de invasão que vá além do ambiente digital faz toda a diferença para o negócio.

Inclusive, você pode conferir um conteúdo nosso sobre Segurança de Aplicação, para que conheça as principais vantagens em utilizar essa solução, garantindo assim a segurança do seu negócio.

E se esse é um desafio para você, neste blog post a gente fornece um checklist do que é necessário para identificar possíveis vulnerabilidades de segurança da sua empresa.


A importância de identificar a vulnerabilidade da segurança

A infraestrutura é também uma peça-chave para manter as operações e conectar os aplicativos e sistemas à rede do cliente. Porém, muitas empresas pecam em dois quesitos que possibilitam brechas na segurança:

  1. Configuração: quando um dispositivo não é configurado corretamente, permitindo o acesso não autorizado de criminosos.
  2. Atualização: quando a atualização do sistema operacional do dispositivo para corrigir vulnerabilidades não é feita constantemente.

No entanto, muitas empresas acham que os esforços de segurança da infraestrutura são o suficiente. Mas, na verdade, as medidas adotadas podem nem mostrar que os sistemas já foram invadidos.

E quando essa invasão é exposta, a consequência é o pagamento de multas regulatórias (como prevê a LGPD) e risco reputacional.

Vale lembrar que um ataque nem sempre demanda muito dos criminosos. Um servidor desatualizado pode ser a porta de entrada para invadir servidores internos (espécie de computador que reúne as informações de uma empresa) e ter acesso aos dados armazenados no ambiente.

Embora essa pareça uma realidade para empresas com pouca ou nenhuma maturidade em cibersegurança, um ambiente de segurança da informação nunca estará 100% protegido. E isso vale também para as companhias que reservam parte do orçamento para esse setor.

FIQUE POR DENTRO: 10 ameaças cibernéticas em alta no primeiro semestre de 2020

Por exemplo, uma organização pode até ter as melhores práticas de segurança em sua infraestrutura. No entanto, os hackers podem aproveitar a falta de conhecimento dos colaboradores e disparar um ataque phishing para infectar os dispositivos e roubar informações de e-mail, lista de clientes, entre outros dados.

Isso pode ser agravado em uma operação home office, em que os funcionários nem sempre contam com recursos tecnológicos para proteger as máquinas e os profissionais de TI estão mais focados em manter a disponibilidade dos serviços e sistemas.

Checklist: 4 pontos que vão ajudar na segurança dos dados

A vulnerabilidade da segurança está presente em todas as companhias, de todos os setores e de todos os portes. É inevitável. Basta um pequeno detalhe passar despercebido para o time de TI perder noites de sono tentando mitigar as falhas descobertas.

Com o checklist abaixo, você conseguirá entender mais como um teste de invasão e uma análise de vulnerabilidade vão garantir a proteção de dados da sua empresa e diminuir os riscos de brechas de segurança.

FIQUE POR DENTRO: Como Mozart explica a vulnerabilidade das empresas durante o trabalho remoto?

1. Mapear todos os ativos da infraestrutura

Todo servidor, roteador, computador, smartphone, modem, switches e qualquer outro dispositivo que se conecta à rede do cliente (ou seja, quando possuem IP) fazem parte da infraestrutura do seu negócio.

Aqui vale um adendo: desktops virtuais criados a partir de uma infraestrutura em nuvem também devem ser incluídos nesse mapeamento. Recentemente, um ex-engenheiro de uma empresa de tecnologia se declarou culpado por remover 456 máquinas virtuais e deletar 16 mil contas de um produto fornecido pela companhia.

Com todos os ativos mapeados, é hora de realizar os testes para identificar as vulnerabilidades de segurança.

2. Definir a periodicidade dos testes

Como citamos ao longo deste blog post, as empresas possuem diferentes níveis de maturidade sobre a segurança da informação. Isso pode despertar dúvidas quanto à execução desses testes.

Para companhias que estão nos estágios iniciais, a sugestão é realizar uma análise de vulnerabilidade a cada 3 meses e um teste de invasão por ano. Assim, é possível ter um espaço de adaptação e mitigação dos problemas encontrados.

Talvez a melhor comparação para entender a importância de identificar as brechas seja as atualizações constantes solicitadas pelo Windows. Todos os meses, a Microsoft libera um patch para corrigir as falhas encontradas na versão anterior.

Quando você atualiza o seu dispositivo com o Windows para a versão mais recente, fica mais difícil para um hacker invadir a máquina e roubar os dados. Mas claro, ainda é preciso de um conhecimento mínimo de segurança, que vamos explicar no próximo tópico.

3. Conscientizar os times

De nada adianta investir em medidas de segurança na infraestrutura se os colaboradores não estão atualizados sobre os tipos de ataques existentes. Por isso, é importante trabalhar a conscientização das equipes, ainda mais as que estão trabalhando remotamente.

Esse aprendizado pode ser feito por meio de pequenas ações:

  • Envio de e-mail institucional explicando o que é e como atua um e-mail falso;
  • Disparo de e-mail falso como um exercício para ver qual colaborador conseguiu ou não identificá-lo;
  • Conscientizar sobre atualização dos dispositivos;
  • Garantir ferramentas de antivírus nas máquinas.

4. Adotar novas soluções

À medida que a maturidade de cibersegurança for crescendo, sua empresa vai lidar com dois cenários: o primeiro é que o teste de invasão pode ser feito a cada 15 dias ou uma vez por mês.

Já o segundo é a adoção de outros serviços e tecnologias de segurança como uma camada a mais de proteção. Por exemplo, uma solução de MDM vai permitir o gerenciamento dos dispositivos usados pelos colaboradores, mesmo que eles estejam de casa.

Mantenha toda a sua empresa segura já

A cibersegurança não pode ser negligenciada pelas empresas. Muitas possuem uma deficiência muito grande para atualizar os dispositivos e geralmente levam de 3 a 5 anos para modernizar a infraestrutura. Esse tempo é mais do que o suficiente para uma infraestrutura ser invadida e infectada.

Embora o cenário atual peça agilidade na entrega e o time de TI atue para manter a disponibilidade das operações, nem sempre esses profissionais possuem o conhecimento e a experiência na avaliação da segurança em um ambiente.

Então, contar com o apoio de um provedor de soluções de segurança pode ser um diferencial para a sua empresa, já que uma equipe terceirizada vai identificar pontos falhos e como eles devem ser corrigidos de forma cirúrgica.

Para a sua empresa, é desenvolver as melhores práticas de segurança e permitir que a equipe interna de TI mantenha o foco nas demandas do dia a dia, sem comprometer a produtividade.

Além disso, significa ter a possibilidade de receber relatórios mais detalhados e se expor menos aos diferentes tipos de ataques.

Que saber mais como a cibersegurança faz toda a diferença para a continuidade dos negócios? Clique no banner abaixo e descubra como proteger sua empresa de vulnerabilidade de segurança.


Repassando o que vimos neste post

  • Empresas ainda têm dificuldade de identificar vulnerabilidade de segurança na infraestrutura.
  • Motivo é que a configuração dos dispositivos é feita de maneira errada ou eles não são constantemente atualizados.
  • Permitindo cibercriminosos encontrarem brechas de segurança, invadindo os servidores e roubando dados.
  • Aplicar uma análise de vulnerabilidade e um teste de invasão pode melhorar a proteção dos dados das empresas.
  • Checklist com 4 itens que você pode considerar como forma de aumentar a segurança da informação.

Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *