IOT

Por que uma rede mesh Bluetooth vai criar um ecossistema perfeito de IoT?

30/07/2021

Tempo estimado de leitura: 2 minutos

Ao habilitar dispositivos IoT com uma rede mesh Bluetooth, empresas conseguem criar ambientes de trabalho automatizados e com integração perfeita.

Sabia que o Bluetooth vai além de conectar o notebook à impressora do escritório? Atualmente, a tecnologia tem sido usada para criar ecossistemas de Internet das Coisas (IoT) para automatizar ambientes de trabalho com menor interferência humana possível.

Antes de mostramos como isso acontece, vale ressaltar: Bluetooth é uma tecnologia, é um protocolo de comunicação, é uma rede sem fio. Esses sinônimos serão usados ao longo do texto.

Como é feita essa integração via Bluetooth?

Um artigo do site IT Pro destaca que uma rede mesh (ou rede de malha) Bluetooth é responsável por criar uma conexão sem fio entre os dispositivos inteligentes. Assim, é possível automatizar a comunicação entre máquinas, sensores e servidores.

Rede mesh é uma opção alternativa ao protocolo 802.11 de tráfego de dados e voz, além das redes a cabo ou sem fio (Wi-Fi).

Um caso de uso para a rede de malha Bluetooth é suportar os sistemas conectados de um edifício inteligente. A vantagem é conseguir integrar todos os ambientes do prédio, permitindo monitorar e controlar sistemas, como energia, elevador, refrigeração, entre outros.

Outro benefício é ter todos esses sistemas conversando entre si e, ao usar sensores em tempo real, informar o que esses sistemas deveriam ou não fazer.

A rede mesh Bluetooth cria uma IoT perfeita?

A resposta para a pergunta deste intertítulo é sim.

Martin Woolley, gerente de programa técnico do Bluetooth Special Interest Group (SIG), ouvido pelo IT Pro faz uma comparação entre a IoT residencial e a corporativa para explicar o conceito.

Enquanto em uma casa os equipamentos são controlados por comandos de voz, no escritório (ou na indústria ou campo), o que menos se quer é o controle humano. A IoT perfeita é imperceptível para as pessoas.

“O sol que sai de trás da nuvem pode fazer com que o nível de luz ambiente na sala fique mais claro, então o sistema diminui as luzes, muito sutilmente, em tempo real e as pessoas não percebem o que está acontecendo”, explica Wooley.

A automação cria, então, um ambiente de trabalho agradável, sem que ninguém tenha de parar o que está fazendo para ajustar cortinas/persianas, ou alterar o brilho da tela. Isso porque os sensores em tempo real conversam sempre com o controlador de iluminação, instalado dentro das lâmpadas.

Por que o Bluetooth pode ser melhor?

A resposta é simples: dispositivos IoT conectados por uma rede Wi-Fi ainda vão exigir a intervenção de um humano para funcionar. Já com o Bluetooth, isso ocorre totalmente de forma automatizada.

“Você entra em uma sala e é a primeira pessoa nela”, explica Woolley. “Então, um sensor de ocupação sabe que você está lá e diz à rede para mudar para alguns cenários: luzes podem acender no nível certo, as persianas podem baixar, o aquecimento ficar na temperatura certa.”

Embora essa inovação esteja em um estágio inicial, já há escritórios, lojas de varejo e hospitais já usam uma rede mesh Bluetooth, destaca o site IT Pro. A matéria ainda prevê que 360 milhões de dispositivos Bluetooth para edifícios inteligentes sejam enviados às empresas até 2022.

Principais destaques desta matéria

  • Rede mesh Bluetooth vai ajudar as empresas a automatizar sensores e dispositivos IoT.
  • Sem precisar de intervenção de uma pessoa para comandar.
  • Entenda como o protocolo de comunicação pode ser usado para criar um ecossistema IoT perfeito.

Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *