IOT

5 exemplos de casos de uso da Internet das Coisas Industrial (IIoT)

23/02/2021

Tempo estimado de leitura: 4 minutos

Internet das Coisas Industrial (IIoT) vai utilizar um ecossistema de tecnologias e aplicações industriais específicas para impulsionar a Indústria 4.0.

A Internet das Coisas (IoT) há muito tempo está entre nós. São dispositivos conectados à internet que geram dados para a tomada de decisão – de qual filme uma plataforma de streaming vai indicar à definição de qual produto será colocado na vitrine de uma loja.

São possibilidades que, a partir dos dados coletados, conseguem identificar padrões de comportamento de uma pessoa e decidir as melhores estratégias para fidelizá-la. No entanto, quando se trata da Indústria 4.0, qual o papel da IoT?

Antes de aprofundarmos no assunto, vamos relembrar o conceito de Indústria 4.0. Como destaca a Deloitte, é a transformação digital das organizações que buscam usar seus dados em tempo real para aprimorar as operações.

FIQUE POR DENTRO: Como encarar os desafios de segurança em um ecossistema IoT?

O relatório “Digital industry transformation: reinventing to win the Industry 4.0” da consultoria norte-americana, afirma que, para criar vantagem competitiva em inovação, as empresas estão transferindo a geração de valor de dispositivos físicos para as aplicações e dos processos para os dados.

Em outras palavras, elas estão migrando para serem organizações orientadas a dados.

Neste sentido, a Internet das Coisas Industrial (IIoT) tem sido um fator fundamental no desenvolvimento de fábricas inteligentes e em como elas são geridas. Neste artigo, trazemos 5 casos de uso de como a IIoT transforma negócios na indústria.

Diferença entre IoT e IIoT

Antes de mostrarmos os exemplos de casos de uso, é importante diferenciar as duas “internet das coisas”.

A IIoT é uma subcategoria da IoT e pode ser explicada como o ecossistema tecnológico usado em ambientes industriais. Dentro de uma planta industrial, algumas tecnologias vão entregar dados para decisões de redução de custo, aumento de produtividades, entre outros benefícios. As tecnologias que fazem parte deste ecossistema são:

  • Sistemas Ciberfísicos (CPS): ao contrário de sistemas embarcados (que têm funções dedicadas), os CPS são sistemas computacionais em que os componentes físicos e de software estão interligados e são controlados e monitorados por um algoritmo.
  • Computação em nuvem: permite armazenar, carregar e recuperar os serviços e recursos de TI pela internet em vez de uma conexão direta com um servidor.
  • Edge Computing: descentraliza o processamento de dados, permitindo aprimorar a produtividade e operações da indústria.
  • Big Data Analytics: possibilita a análise de grandes conjuntos de dados.
  • Inteligência Artificial e Machine Learning: a IA vai permitir que máquinas trabalhem “como humanos”, enquanto o Machine Learning vai permitir que o software embarcado nelas aprenda a prever resultados com maior precisão.

Apesar da IIoT ter quase todos os benefícios da IoT, a internet industrial aprimora a comunicação máquina a máquina (M2M na sigla em inglês para Machine to Machine, saiba mais deste protocolo aqui), dando uma visão holística de todo o chão de fábrica.

Se com a IoT estamos acostumados a ver dispositivos conectados a aplicativos que consumidores finais também conseguem usar, a IIoT conversa com aplicações industriais específicas, exigindo também hardware e sistemas de acordo com a planta.

Por exemplo, em uma fábrica de automóveis, a aplicação usada para medir a produção dos robôs vai exigir códigos e funcionalidades específicos para esta demanda — algo que um aplicativo comercial talvez não consiga entregar.

As vantagens da Internet das Coisas Industrial

Com a Internet das Coisas Industrial, é possível integrar sensores inteligentes em máquinas de manufatura, sistemas de energia e infraestrutura. Por meio da coleta contínua de dados, esses dispositivos ajudam a aumentar a eficiência, produtividade, segurança etc.

São inúmeras possibilidades com a indústria inteligente. Quer ver exemplos?

  • Checar a eficiência energética das máquinas.
  • Monitorar o gasto com água e outros recursos.
  • Acompanhar o tempo de vida das máquinas.
  • Permitir a automação da manutenção de equipamentos ou envio de alertas para qualquer situação incomum.

Assim, as organizações vão conseguir, com o tempo, enxergar alguns benefícios:

  • Produção inteligente: um chão de fábrica conectado vai dar aos gerentes uma visão de toda a instalação e detalhes de seu desempenho. Isso permite ver quantas peças do maquinário estão em operação, prever a necessidade de manutenção, evitar paradas emergenciais e até mesmo saber a quantidade média de unidades que serão produzidas num espaço de tempo.
  • Gerenciamento de energia: todo processo industrial usa grandes quantidades de energia. Com o uso de IIoT, pequenas melhorias no gerenciamento já causam mudanças significativas na redução de custos. Além de dar uma visão do consumo de energia em instalações inteiras, é possível saber quanto cada máquina consome, identificando qual está ineficiente. Outra oportunidade é adicionar recursos de energia renovável no ambiente.
  • Manutenção preditiva: permite melhorar a eficiência aprimorando os programas de manutenção preditiva, assim como enviar alertas aos times sobre operações incomuns e potenciais problemas que podem surgir. Além de reduzir o tempo de inatividade, aumenta a eficiência.

5 casos de uso da internet industrial

O uso de IIoT pode desencadear uma infinidade de aplicações industriais capazes de reduzir tempo de inatividade e melhorar a produção. O relatório da Deloitte, que citamos no início deste artigo, destaca cinco exemplos que empresas da indústria podem observar.

1. Design orientado a dados

Os aprendizados de sistemas operacionais e máquinas alimentam os ativos de uma organização da indústria, assim como componentes subjacentes e seus subsistemas.

Exemplo: processo para otimizar tempo e custo das operações e processos preditivos.

2. Dados como serviço

Acesso sob demanda a dados relevantes e em tempo real para analisar as operações.

Exemplo: Aprimorar o entendimento das operações do chão de fábrica.

3. Visibilidade em tempo real

Monitoramento em tempo real dos ativos e das operações para identificar e resolver problemas proativamente.

Exemplo: Reduzir o tempo de parada e aprimorar a produtividade de uma máquina.

4. Manutenção preventiva

Dados em tempo real de uma máquina são correlacionados com um contexto pré-determinado de dados para identificar quais e quando serão os ciclos de manutenção.

Exemplo: Identificar os benefícios de uma manutenção programada para garantir benefícios econômicos nas operações e cadeia de suprimentos (em caso de postura reativa, a parada operacional pode ser maior por falta de peças e produtos).

5. Planejamento do estoque

A combinação de dados externos com os dados gerados por sensores internos ajuda a entender o estoque e quando ele vai demandar a reposição de peças e produtos.

Exemplo: saber quais peças e quando elas deverão ser estocadas vai deixar uma empresa mais ágil, possibilitando alcançar um melhor retorno sobre o investimento.

Principais destaques desta matéria

  • Internet das Coisas Industrial (IIoT) colabora na transformação da Indústria 4.0.
  • Apesar de ter benefícios quase idênticos que a IoT, a IIoT exige aplicações industriais específicas.
  • Confira 5 exemplos de casos de uso em que a internet industrial pode moldar negócios.

Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

NEWSLETTER