Cloud

Qual a chave para a computação distribuída? Integração de dados

15/07/2021

Tempo estimado de leitura: 3 minutos

Executivo da Stardog compartilha insights sobre a visão de Satya Nadella, CEO da Microsoft, para a computação distribuída: centralização da nuvem e dados corporativos integrados.

Em março deste ano, a Microsoft realizou o Microsoft Ignite, a conferência anual para desenvolvedores e outros profissionais de TI. Foi o momento em que Satya Nadella, CEO da companhia, falou sobre computação distribuída e como ela moldará o futuro.

Na apresentação, Nadella afirmou que as empresas orientadas a dados se tornarão empresas conectadas. Ou seja, irão fomentar a produtividade, reduzir os custos internos e diminuir o tempo de ter uma percepção sobre valores – seja da tecnologia, do mercado ou de si mesmas.

Como mostra Kendall Clark, fundador e CEO da Stardog, a partir de alguns insights extraídos por ele da apresentação de Nadella, dois recursos da nuvem serão essenciais para todas as empresas que buscam usar dados para fomentar seus negócios:

  1. Computação ubíqua: uso de dispositivos conectados em todos os lugares e de forma transparente, passando a percepção às pessoas de que eles não estão ali.
  2. Inteligência ambiental: integração de computação e tecnologias de rede para cercar as pessoas com maior inteligência, flexibilizando e adaptando os ambientes em que elas estão inseridas.

E para isso acontecer, Clark afirma que as empresas precisarão mudar a estratégia atual de integração de dados. Confira 3 insights que ele publicou em artigo para a InformationWeek.

Insight 1: Integrar os dados não é mais copiar e colar

Uma pesquisa da consultoria IDC revelou que, neste ano, 59 zetabytes de dados seriam criados em todo o mundo. Porém, 90% deles seriam replicados ou copiados entre ambientes. É assim que as empresas atualmente integram seus dados.

Kendall afirma que “a estratégia de integração de dados não mudou significativamente nos últimos 30 anos”. Nem mesmo com maior adoção da nuvem – 85% das empresas têm ativos de dados em mais de uma nuvem pública, afirma uma pesquisa de 2018 da IBM.

Todos esses dados são um grande desafio para as estratégias convencionais de integração de dados por parte das empresas: elas ainda aproveitam os dados que estão armazenados na pilha de TI. Isso significa que sempre o último dado inserido nessa infraestrutura será o primeiro a ser retirado.

Além de gastar muitos recursos movendo dados para diversos ambientes, pode acontecer de eles apresentarem vieses, incertezas e ineficiências para a demanda que ele é desejado. Ou seja, o desafio é encontrar uma forma de integrar os dados e centralizá-los em nuvem.

Insight 2: Computação distribuída é o futuro

Nadella descreveu no painel da Microsoft que a descentralização é o futuro da computação distribuída. Kendall explica da seguinte maneira: diante de tantos dados, uma empresa passa a distribuir a tarefa de tratá-los para aproveitar o poder computacional de um ecossistema de dispositivos ao invés de copiá-los e colá-los.

Essa distribuição do poder de computação é, por exemplo, tratar os dados na borda (edge computing). No futuro – próximo, por sinal – será necessário porque a rede de computadores, com o tempo, passa a ter um declínio no desempenho.

O CEO da Stardog ressalta que, com o volume de dados que não para de crescer, replicá-los pode se tornar crítico já que a rede usada não vai aumentar na mesma velocidade. “Não é um problema simples de resolver, mas é a abordagem certa para atender às tendências futuras.”

Outro ponto levantado por Nadella e comentado por Kendall são os impulsionadores da computação distribuída: crescimento do volume, da velocidade e da variedade de dados. Com todo esse volume gerado diariamente, não há como continuar com estratégias centralizadores.

Sem contar que as empresas também seguem em direção a uma soberania de dados. Ou seja, em que os proprietários dos dados têm o direito de controlá-los.

Insight 3: O futuro só vai existir com uma integração inovadora

Essa foi a percepção de Nadella – um tanto visionária e ousada, como destaca Kendall. O CEO acredita que alcançar esse estágio vai exigir “mudanças na infraestrutura da nuvem e nos modelos de negócios baseados na centralização.”

De forma mais crítica, Kendall Clark prevê também que essas mudanças para uma computação distribuída exigirá uma estratégia de integração de dados que pode trazer um futuro distribuído cheio de promessas e potencial.

Principais destaques desta matéria

  • Computação distribuída será o futuro, acredita Satya Nadella, da Microsoft.
  • Porém, integração de dados deve ter nova abordagem, descentralizando o poder computacional.
  • Kendall Clark, da Stardog, compartilha 3 insights em cima da visão de Nadella.

Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

NEWSLETTER