Cloud

Assuma o controle de gastos com a nuvem utilizando o FinOps da Embratel!

10/12/2020

Tempo estimado de leitura: 7 minutos

Entenda como a solução FinOps da Embratel pode trazer previsibilidade dos custos e transformar o seu gerenciamento de gastos com a nuvem.

O gerenciamento de gastos de soluções baseadas na computação em nuvem ainda é um desafio para muitas organizações. Se seu negócio vive essa realidade diariamente, guarde bem este nome: FinOps.

Apesar de ainda ser recente no mercado, essa disciplina, que une as áreas de Finanças e de Operações de uma companhia, tem a missão de resolver duas grandes dores de empresas que fazem uso massivo da nuvem:

  1. Ter visibilidade de gastos;
  2. Saber como otimizar os gastos com a nuvem.

Quando uma organização passa a ter conhecimento dos custos que a nuvem gera, ela passa a amadurecer a gestão financeira da tecnologia. Isso reflete em uma mudança de postura: as decisões antes reativas, tornam-se proativas.

Com isso, os líderes vão conseguir, com a previsibilidade dos custos, fazer mais com a nuvem, gastando algo muito próximo do que fora previsto no orçamento – ou até menos!

Por sinal, esse é um de vários resultados que a prática FinOps gera para as empresas. É ir além da otimização de uso e custo, mas ter domínio financeiro para conseguir inovar sem comprometer a gestão financeira.

No entanto, como dominar o gasto variável da nuvem? A Embratel pode ajudar a sua empresa nessa jornada com a solução FinOps. São três tipos de ofertas que permitem o gerenciamento do ambiente de nuvem com maior economia e eficiência.

Quer saber qual se encaixa no perfil do seu negócio? Ao longo deste artigo você descobre mais por que integrar o time de Finanças e Operações vai sustentar a tomada de decisão envolvendo a computação em nuvem.

banner de inbound sobre finops

FinOps: o que muda na sua empresa ao adotar essa disciplina?

A adoção da computação em nuvem possibilitou o desenvolvimento de novos modelos de negócio nas empresas. Porém, se uma infraestrutura on premise fornecia previsibilidade financeira, em cloud essa característica é um pouco mais difícil de ser obtida.

Daí a importância de FinOps ser recorrente em uma organização. As empresas já estão a par das vantagens da nuvem: rapidez, escalabilidade, flexibilidade e segurança. No entanto, o gerenciamento de gastos com a tecnologia ainda é uma incógnita.

O motivo é a dificuldade na interpretação da fatura de consumo de nuvem.

E isso vale tanto para as empresas que têm controle do orçamento dos gastos com nuvem, mas que não sabem como melhorá-lo, quanto aquelas que estão no escuro: ou seja,com orçamento estourado e sem saber como organizar os gastos.

Talvez o exemplo mais claro para ilustrar o motivo para adotar a solução da Embratel é o consumo de energia de um prédio comercial. A fatura é enviada com um determinado valor  todo o mês, mas você não tem a menor ideia de qual equipamento consome mais luz de um imóvel.

Seriam as luzes mantidas acesas todas as noites? O elevador em operação além do expediente de trabalho? Os notebooks e computadores ligados em todas as horas do dia? Ou o ar-condicionado funcionando o tempo todo?

A partir do momento que você tem visibilidade dos gastos com energia, será possível saber quais itens e áreas consomem mais, possibilitando decisões para cenários futuros.

Por exemplo, se o prédio comercial ocupa um call center e há maior demanda de atendimento em datas sazonais, o gestor consegue organizar o orçamento para os gastos com energia no período, sem sustos quando receber a conta.

Tudo isso porque será possível conhecer o que se utiliza de energia, como ela é usada, para que e por quem. O mesmo vale para a nuvem.

Como iniciar a disciplina na sua empresa?

Adotar FinOps na empresa é ir além de integrar os times de Finanças e Operações e manter a colaboração constante entre essas equipes. É: 

  • Ter uma visão holística dos custos com a nuvem;
  • Avaliar o desempenho dos ambientes cloud;
  • Tomar decisões em tempo real;
  • Previsibilidade e planejamento para inovar.

Essas possibilidades vão acontecer uma vez que FinOps possui um ciclo de vida baseado em três pilares: Informação, Otimização e Operação.

Abaixo, confira mais detalhes de como esses três pilares vão te dar uma visibilidade de gastos com a nuvem.

1. Informação

ste primeiro momento é o que vai ajudar na definição de estratégias, já que o pilar Informação tem o objetivo de dar visibilidade sobre os gastos com ambientes em nuvem. Essa fase pode ser organizada em seis etapas.

A primeira é a utilização de tags para que você tenha visibilidade dos recursos, quem os utilizam e como eles são usados. É o passo mais importante para que a estratégia definida apresente um resultado positivo.

A partir dessa identificação, você consegue saber:

  • Quais as áreas da sua empresa gastam mais com a nuvem;
  • Como o dinheiro é investido na tecnologia;
  • Quais recursos em nuvem são, de fato, utilizados;
  • Quais são os recursos que foram comprados, porém não são usados;
  • E quais recursos podem ser trocados.

O passo seguinte é a visibilidade. Com as tags é possível customizar relatórios com as informações coletadas. Já o terceiro, medição e desempenho, faz uso de ferramentas e métricas para mostrar a utilização de cada serviço de nuvem.

O orçamento e forecast, quarto passo, ajudam a estimar a demanda futura para planejar o orçamento de forma mais assertiva. Em seguida, a etapa de distribuição de custos será o momento de designar algo ou alguém para um projeto de nuvem.

Por último, relatório e dashboards é a etapa em que você terá todas as informações da nuvem disponíveis para consulta. Vale destacar que, por FinOps ser baseado em uma equipe multidisciplinar, a linguagem precisa atender a todos.

2. Otimização

Com o conhecimento de como a nuvem é usada na sua empresa, este pilar vai ajudar a encontrar as melhores oportunidades. Além disso, dará insights de como gerenciar os gastos, conseguindo economizar, mas ainda entregando serviço com qualidade.

Já pensou em saber quais recursos foram alocados incorretamente? Ou conseguir identificar quais não são utilizados, mas que geram gastos para a empresa? Com informações de qualidade você consegue responder a essas perguntas.

Outra vantagem do FinOps é que, no pilar Otimização, a automação tem um papel de importância. Quanto mais os trabalhos manuais forem automatizados, sua empresa conseguirá alocar os colaboradores para demandas mais específicas e complexas.

Por exemplo, é possível estabelecer rotinas para limpar áreas de discos que não precisam continuar com dados armazenados, automatizar o tagueamento das informações e até mesmo ligar ou desligar os servidores.

3. Operação

O último pilar de FinOps vai materializar tudo o que foi feito nas etapas anteriores. Ou seja, é o momento de colocar em prática a disciplina na sua empresa. Não só isso, é indicar ao time de Operações como eles podem encarar a nuvem como negócio.

Isso pode acontecer em quatro passos:

  1. Mostrar ao time de Operação quais são os objetivos de negócio, estabelecendo o que será feito na prática.
  2. Alinhar as estratégias com a TI para que todos fiquem cientes de que qualquer ambiente e recurso na nuvem tem um vínculo financeiro.
  3. Estabelecer uma governança para identificar quem usa a nuvem e para quem ela é usada. Com o uso de indicadores, é possível cruzar as informações de infraestrutura e o retorno que ela tem dado aos negócios.
  4. Com uma visão 360 dos gastos com nuvem, os times de Finanças e de Operações conseguem entender como melhorar os serviços que utilizam a tecnologia, porém sem comprometer o orçamento.

Qual oferta da solução da Embratel é a melhor para o meu negócio?

Independentemente de você estar no escuro com o gerenciamento de gastos com a nuvem ou se está dentro do orçamento, mas não sabe como fazer o seu aprimoramento, a solução de FinOps da Embratel conta com três ofertas para impulsionar a disciplina na empresa.

1. Crawl

Essa oferta é para empresas que estão sempre estourando o orçamento e encontram a dificuldade de manter um gerenciamento de gastos para melhorá-los.

Na modalidade Crawl (engatinhar), o trabalho da Embratel tem uma duração média de dois meses. Aqui, os pilares Informação, Otimização e Operação irão funcionar da seguinte forma:

  • Informação: sua empresa não terá previsibilidade dos custos e os dados irão mostrar uma visão do passado. Toda a análise do extrato da fatura é feita de forma manual, assim como o relatório de uso e consumo da nuvem.
  • Otimização: a análise da alocação de recursos e desempenho é feita de forma superficial, geralmente focada em projetos que tenham maior relevância.
  • Operação: não há praticamente nenhuma automatização ou proatividade na gestão financeira da nuvem

2. Walk

O Walk (andar) é uma oferta com duração média de quatro meses. Aqui, a sua empresa já pode fazer uso de automação para ter resultados mais sólidos quanto ao gerenciamento de gastos.

Aqui, os pilares de FinOps são organizados da seguinte forma:

  • Informação: os dados coletados trarão alguma previsibilidade, mas ainda baseada no passado.
  • Otimização: todo o orçamento é baseado na estimativa de uso e sempre há revisão periódica para mapear em quais áreas acontecem os desperdícios de uso da nuvem.
  • Operação: foco é na governança e em ações proativas.

Vale lembrar que a oferta Walk é também uma opção para empresas que ainda se sentem perdidas quanto ao orçamento de nuvem e precisam de uma ação imediata para conter os gastos.

3. Run

Aqui, os especialistas da Embratel serão responsáveis em fomentar a disciplina FinOps na sua empresa. Em Run (correr), todos os processos envolvendo a nuvem são automatizados, possibilitando a decisão em tempo real.

A oferta é voltada para empresas que já têm certa maturidade com soluções em nuvem e buscam um gerenciamento financeiro com aprimoramento recorrente.

Os três pilares aqui serão distribuídos como:

  • Informação: os dados coletados vão gerar previsibilidade de gastos e permitir o acompanhamento em tempo real de informações técnicas e de finanças.
  • Otimização: qualquer pessoa designada para o projeto consegue acompanhar os gastos com base em informações on-line de consumo da nuvem.
  • Operação: as equipes envolvidas conseguem estabelecer o orçamento e acompanhar as demandas exigidas pelos ambientes em nuvem.

Faça do FinOps uma prática na sua empresa

Adotar a solução FinOps da Embratel é sair de um comportamento reativo e tornar sua empresa a própria dona das tomadas de decisão envolvendo a computação em nuvem.

Promover a disciplina entre as equipes de Finanças e de Operações é algo que empresas de qualquer porte e setor podem realizar. Em outras palavras, se você está começando a jornada para a nuvem ou já tem certa maturidade: FinOps é a solução.

O motivo é o mesmo para qualquer empresa: a disciplina vai permitir evoluir os processos que são baseados em nuvem, garantindo a inovação e mantendo o controle dos gastos.

Porém, é preciso colocar no papel que FinOps não é tentar resolver todos os problemas de uma vez. A disciplina é cíclica, então olhar cada ambiente de maneira individual é mais efetivo que olhar sua empresa como um todo.

Quer saber como FinOps vai te dar autonomia no uso da computação em nuvem? Clique no banner abaixo e fale com um de nossos consultores para entender como a solução levará sua empresa para o próximo nível.

banner maior de inbound sobre finops

Repassando o que vimos neste post

  • FinOps é a integração das equipes de Finanças e de Operações.
  • Isso trará previsibilidade dos custos e gerenciamento dos gastos com a nuvem.
  • Entenda como a solução da Embratel vai ajudar sua empresa a garantir a visibilidade dos gastos e gestão financeira da tecnologia.

Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *