Cloud

5 dicas para superar os desafios de uma estratégia multicloud

15/12/2020

Tempo estimado de leitura: 4 minutos

Tecnologia foi crucial para que as empresas “vencessem” 2020. Saiba como adotar uma estratégia multicloud de maneira harmoniosa e econômica

Você já considerou uma estratégia multicloud para sua empresa? Muitas organizações já caminham para o uso de duas ou mais nuvens públicas, de acordo com uma pesquisa do IDG. A cloud, segundo o relatório, foi fundamental nas respostas à crise trazida pela pandemia.

Dos 551 líderes de TI entrevistados pelo IDG, mais da metade usa vários serviços de nuvem pública atualmente. Já 21% responderam adotar três ou mais plataformas cloud. Olhando para 2020, a computação em nuvem foi responsável em fornecer:

  • Resiliência operacional.
  • Ferramentas necessárias para o trabalho remoto.
  • Possibilidade de migrar os dados e aplicativos on premise para a nuvem.

Embora algumas empresas tenham dado o pontapé na jornada para a cloud em 2020, outras já iniciaram uma estratégia multicloud, principalmente as que estão inseridas no setor do varejo e de comércio eletrônico.

Porém, existe um enorme desafio em operar e gerenciar um ambiente que suporta vários provedores e serviços de nuvem. Os líderes de TI e de negócios precisam lidar com esses obstáculos se quiserem ajudar suas organizações a ter sucesso em um mundo com várias nuvens.

Assim, se você já encara esse desafio, o site CIO.com trouxe 5 dicas que vão te ajudar a garantir uma estratégia de várias nuvens de maneira segura, harmoniosa e econômica. Confira.

1. Determinar qual serviço em nuvem é o certo para determinado trabalho

Os serviços em nuvem não são iguais quando o assunto é suporte a aplicativos, workloads e processos de negócios específicos. Em uma estratégia multicloud, os líderes têm a missão de descobrir quais serviços são os melhores para determinadas tarefas.

É preciso identificar, selecionar e implantar os serviços certos em cada ambiente de nuvem. Até porque, cada provedor de nuvem tem um amplo catálogo e é imperativo entender como os serviços de cada fornecedor vai se integrar à arquitetura multicloud.

 Com  essa visão holística da arquitetura e dos serviços, sua empresa consegue fazer escolhas estratégicas importantes envolvendo o uso e o processamento de cargas de trabalho em ambientes em nuvem específicos.

2. Montar o quebra-cabeça com vários ambientes em nuvem

O uso da multicloud tem substituído infraestruturas de TI legadas. Contudo, uma transição bem-sucedida deve garantir que os fluxos de trabalho não sejam interrompidos. Para isso, as empresas devem olhar os serviços em nuvem e encará-los como um quebra-cabeça.

Existe uma dificuldade em gerenciar várias nuvens e é preciso que os líderes consigam integrar e operar várias soluções da tecnologia, os padrões e os níveis de serviço oferecidos pelos fornecedores.

Uma solução para sanar essa dor é o uso de um painel multicloud (saiba mais sobre ele aqui). Além de facilitar o gerenciamento de múltiplas nuvens, a plataforma permite orquestrar e automatizar o uso de máquinas virtuais, medir o faturamento e criar operações preditivas.

Por exemplo, um ambiente pode ser configurado para que, em um pico de demanda, ele consiga ativar mais máquinas virtuais para manter a operação. Assim que esse pico for reduzido, o ambiente consegue desativar as máquinas para evitar gastos além do necessário.

Geralmente, a integração de várias nuvens em um único painel acontece a partir de uma API (interface de programação de aplicativos), com uma usabilidade fácil, permitindo que qualquer pessoa consiga gerir os ambientes.

3. Gerenciar os custos em um ambiente complexo

Muitas empresas encaram a nuvem como uma estratégia de redução de custos. Por exemplo, reduzindo o uso de servidores físicos de terceiros ou até mesmo eliminando os data centers locais (geralmente usados por empresas do setor financeiro).

No entanto, o uso da multicloud pode deixar de desempenhar esse papel devido à complexidade em gerenciar vários ambientes. Então, como não perder o controle dos gastos com a tecnologia? Citamos no tópico anterior o painel multicloud, mas o FinOps pode estar na sua agenda.

FinOps é uma disciplina que vai integrar o time de Finanças e o de Operações para fornecer previsibilidade nos gastos e te dar domínio financeiro dos serviços em nuvem utilizados. O Mundo+Tech detalhou a metodologia nesse artigo.

Com a disciplina, é possível resolver duas das grandes dores de empresas que fazem uso da computação em nuvem:

  • Ter visibilidade de gastos.
  • Saber como otimizar esses gastos com a nuvem.

4. Garantir a proteção e privacidade dos dados

Usar uma infraestrutura on premise torna a segurança cibernética desafiadora. Porém, quando os dados, aplicações e plataformas estão espalhados em diversos ambientes – seja em um data center ou nuvem – a complexidade em proteger a empresa é ainda maior.

A falta de uma governança entre os vários serviços de nuvem pode comprometer a estratégia multicloud. Além de aumentar o risco de violações, os líderes teriam ainda que aplicar um modelo de segurança em cada nuvem contratada.

Desenvolver uma governança é organizar uma arquitetura de identidade centrada na nuvem. Ela precisa estar integrada a todo serviço escolhido, o que é “fácil”, já que praticamente todos os provedores trabalham com padrão aberto.

Além disso, uma tendência do mercado é a parceria com provedores de segurança que vão ajudar no gerenciamento dos ambientes em nuvem e no monitoramento das contratações feitas nos modelos SaaS, PaaS e IaaS.

5. Acompanhar as mudanças do mercado

Os provedores de nuvem estão constantemente adicionando novos serviços ao catálogo e atualizando os já existentes. Os líderes de TI e de negócios devem sempre acompanhar como o mercado está reagindo às novas tendências para ajustar os ambientes quando necessário.

Daí a importância de, na estratégia multicloud, criar provas de conceito com as novidades trazidas pelos provedores de nuvem. Assim, ao encontrar algo promissor, essa possível solução pode ser testada em um ambiente de produção.

Neste ambiente, você consegue analisar a solução em nuvem para encontrar os pontos fracos, oportunidades e ameaças. O benefício é encontrar uma forma eficaz de alinhar novas ferramentas com a demanda dos negócios, sem maximizar os riscos de segurança.

Baixe o e-book grátis sobre a transformação digital do SUS e o combate ao coronavírus

Você já tem uma estratégia multicloud?

Com essas 5 dicas, já é possível ter uma noção de como dar os passos iniciais em uma estratégia multicloud. Se está em seus planos o uso de vários ambientes em nuvem, fechar parcerias com provedores pode diminuir as lacunas da sua empresa além de aumentar a taxa de sucesso da adoção.

Olhar para um painel multicloud ou para o FinOps como meio de gerenciar e ter domínio da nuvem pode prover mais maturidade da sua equipe quanto ao uso da multicloud. Por sinal, vários players do mercado, entre eles a Embratel, oferecem essas soluções.

Mas, se você ainda tem dúvidas sobre múltiplas nuvens, que tal fazer nosso quiz sobre mitos e verdades da computação em nuvem? Clique no banner abaixo e veja o seu desempenho!

Clique no banner, faça o quiz e descubra o quanto você sabe sobre computação em nuvem

Principais destaques desta matéria

  • Estratégia multicloud traz diversos desafios aos líderes de TI e de negócios.
  • Quando não feita corretamente, o uso de várias nuvens pode gerar maiores gastos ao orçamento.
  • Confira 5 dicas de como traçar um plano para que a adoção de multicloud seja um sucesso na sua empresa.

Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

NEWSLETTER