5 tendências de tecnologias emergentes que irão impactar as empresas, segundo a Gartner

5 tendências de tecnologias emergentes que irão impactar as empresas, segundo a Gartner

Relatório da Gartner aponta cinco tendências de tecnologias emergentes que poderão garantir maior vantagem competitiva para as empresas.

Quer saber quais são as tecnologias emergentes que irão mexer com a estratégia das organizações na próxima década?

Na última semana de agosto, a Gartner lançou a mais recente versão do Hype Cycle For Emerging Technologies 2019.

O relatório da empresa de consultoria reúne informações de mais de 2 mil tecnologias que os líderes de TI de todo mundo devem conhecer.

Já estiveram nesse relatório (e não estão mais pois já são classificadas como chave para as áreas de negócios e TI) tecnologias como assistentes virtuais e redes neurais.

“Inovação se tornou a chave para uma diferenciação competitiva. O ritmo acelerado nas mudanças tecnológicas tem desafiado até mesmo os tomadores de decisão a acompanhar essa transformação”, reflete Brian Burke, vice-presidente de pesquisas da Gartner.

FIQUE POR DENTRO: Como empresas impulsionam vendas com Machine Learning

Cinco grandes tendências de tecnologias emergentes, segundo a Gartner

O relatório da Gartner mostra cinco grupos de tecnologias que a consultoria entende como promissoras. Em cada um desses grupos, a Gartner lista quais tecnologias darão apoio a essas tendências.

A expectativa é que as tecnologias emergentes forneçam maior vantagem competitiva num intervalo de cinco a dez anos.

Vamos, então, às tendências de tecnologias emergentes.

1. Sensores e mobilidade

Ao combinar tecnologias sensoriais com Inteligência Artificial (IA), máquinas conseguem ter um melhor aprendizado sobre mobilidade e manipulação de objetos. Sensores também são essenciais para a Internet das Coisas (IoT).

O grande volume de dados coletados, somado à IA e IoT, permite a empresa obter muitas informações que podem ser aplicadas a diversos cenários.

Por exemplo, a Gartner espera, nos próximos 10 anos, que o uso de realidade aumentada na nuvem permita a criação de um mapa 3D do mundo que vai trazer novos modelos de interação.

Isso vai gerar novos modelos de negócios e as empresas poderão monetizar o espaço físico, acredita a consultoria.

Câmeras com detecção 3D, realidade aumentada na nuvem, drones de entrega de carga leve, veículos autônomos voadores e direção autônoma de níveis 4 e 5 são algumas tendências de tecnologias sensoriais que a Gartner espera impactar os negócios até a próxima década.

2. Humano Aumentado ou Humano 2.0

Pode até parecer ficção científica, mas o conceito de Humano Aumentado concentra na criação de melhorias cognitivas e físicas como parte integrada ao corpo. A ideia é a utilização de próteses em alguns membros para aumentar o desempenho natural de um ser humano.

As tecnologias emergentes focadas nesse conceito incluem biochips, inteligência aumentada, Inteligência Artificial emocional, espaços de trabalho imersivos e biotecnologia (tecido cultivado ou artificial, por exemplo).

3. Computação pós-clássica

As tecnologias clássicas de computação fizeram avanços significativos por meio de melhorias nas arquiteturas tradicionais:

  • CPUs mais rápidas;
  • Memória mais densa;
  • Maior taxa de transferência.

Mas as próximas gerações dessas tecnologias (computação quântica, por exemplo) vão adotar arquiteturas inteiramente novas.

É o caso de satélites na órbita terrestre baixa (LEO, em inglês) que poderão fornecer conexão à internet de baixa latência a nível global.

Segundo a Gartner, esses satélites poderão levar internet a 48% dos lares que ainda não estão conectados. Isso vai permitir oportunidades de crescimento econômico para países e regiões que não são atendidos com um serviço de qualidade.

As empresas devem avaliar tecnologias como 5G, memória de última geração, sistemas LEO e impressão 3D em nanoescala para gerar novos modelos de negócios.

4. Inteligência Artificial e análise avançadas

Além das tradicionais ferramentas de Business Intelligence (BI), o uso de Inteligência Artificial na ponta (Edge IA) pode ajudar no desenvolvimento de um modelo autônomo ou semiautônomo de análise de dados.

Para a Gartner, as empresas já estão de olho na adoção de IA na ponta em aplicações:

  • Sensíveis à latência (navegação autônoma, por exemplo);
  • Sujeitos a interrupções de rede (monitoramento remoto, processamento de linguagem natural e reconhecimento facial, por exemplo);
  • Que consomem muitos dados (análise de vídeo, por exemplo).

A expectativa, de acordo com a Gartner, é o crescente uso de IA no modelo Plataforma como Serviço (PaaS), Machine Learning adaptável, análise avançada de gráficos, aprendizado de transferência (método de ML em que o algoritmo é usado novamente para uma nova demanda) nos negócios das empresas.

5. Ecossistemas digitais

Ecossistemas digitais são as conexões (no estilo rede) entre diferentes atores (pessoas físicas, jurídicas e “coisas”) que compartilham uma plataforma digital.

Segundo a consultoria, esses ecossistemas digitais estão em constante evolução e conexão, o que resulta “em novos produtos e oportunidades.”

A Gartner aponta como tecnologias emergentes: DigitalOps, Knowlege graph, dados sintéticos e redes descentralizadas.

Principais destaques desta matéria:

  • Gartner divulgou relatório que reúne mais de 2 mil tecnologias;
  • Consultoria prevê 5 tendências de tecnologias emergentes que irão movimentar os negócios;
  • Expectativa é que essas tecnologias façam parte do cotidiano das empresas em até 10 anos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *