Logo Embratel

Tudo sobre TI, Telecom e Mobilidade

As tecnologias do hospital do futuro_1170_500

As tecnologias do hospital do futuro

Principais destaques:
– Hospital norte-americano fechou parceria com Microsoft para construir hospital do futuro;
– Instituição irá investir em Inteligência Artificial, cloud e outras soluções tecnológicas;
Mundo + Tech reuniu tecnologias importantes para integrar um hospital do futuro.

O setor da saúde só tem a ganhar com a tecnologia. No Brasil e no mundo, várias organizações desenvolvem e utilizam soluções baseadas em cloud, Internet das Coisas (IoT), Inteligência Artificial, entre outras para detectar e diagnosticar doenças, aprimorar o atendimento ao paciente e agilizar os processos dessas instituições.

Recentemente, a rede norte-americana de hospitais e clínicas Providence St. Joseph Health fechou uma parceria com a Microsoft na construção de um hospital do futuro, em Seattle (Estados Unidos). As duas companhias irão utilizar diversas tecnologias para analisar informações e gerar insights com o objetivo de melhorar a tomada de decisão clínica, melhorar o tratamento oferecido aos clientes e reduzir os custos médicos.

Quais são essas tecnologias?

Cloud, Inteligência Artificial e ferramentas analíticas serão algumas das tecnologias que o Providence St. Joseph Health vai utilizar no hospital do futuro. São soluções que podem ser adotadas também por instituições brasileiras e ajudar a transformá-las em um centro de excelência no tratamento aos colaboradores e pacientes.

O Mundo + Tech reuniu algumas dessas tecnologias que podem impactar e ajudar no desenvolvimento de um hospital do futuro. Confira:

– Cloud
Adotar esta solução traz vantagens para empresas que atuam no setor da saúde. Com os dados na nuvem, a instituição tem maior segurança, agilidade e redução de custo.

No quesito segurança, a criptografia de ponta a ponta, autenticação segura e restrição de acesso ao servidor na nuvem são barreiras contra invasões ao sistema.

Investir na nuvem é garantir a integração e mobilidade dos dados, facilitando o compartilhamento deles entre gestores e corpo clínico de um hospital, seja em um tablet, smartphone ou PC.

Já a redução de custo ocorre porque a instituição irá diminuir a quantidade de máquinas, energia e manutenção dos equipamentos, e com um modelo por demanda, a empresa só irá pagar o que for usado.

– Inteligência Artificial
A tecnologia é capaz de auxiliar a equipe médica a partir de dados coletados dos pacientes quando treinada com algoritmos de Machine Learning. Assim a Inteligência Artificial será capaz de ter maior precisão nos diagnósticos, otimizar o armazenamento de dados, ampliar a base de dados para antecipar diagnósticos e integrar os dados dos prontuários eletrônicos para análise.

– Internet das Coisas (IoT)
A previsão da consultoria IDC é que o ecossistema de IoT movimente US$ 9 bilhões (R$ 38 bilhões) em 2019 e cresça acima de 20% ano a ano até 2022. Nos hospitais, a tecnologia deve se tornar essencial porque os dispositivos conectados irão se comunicar com outros equipamentos para melhorar o atendimento médico, diagnosticar doenças e monitorar pacientes.

– Realidade aumentada
A tecnologia é capaz de criar um modelo 3D da anatomia do paciente e fornecer um alto grau de precisão. Com isso, o hospital consegue reduzir os altos custos de uma cirurgia enquanto os médicos podem apresentar maior eficiência e menor chance de erros durante os procedimentos cirúrgicos. A tecnologia chegou a ser usada em um procedimento feito no Brasil em 2018.

– Blockchain
A tecnologia possibilita a criação de um registro unificado de pacientes dentro de um sistema de saúde. Assim, o prontuário médico estará disponível para consulta de uma instituição ou de um profissional da saúde cadastrado nesse sistema para, por exemplo, garantir a continuidade de um tratamento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *