Carnaval 2019 confira as tecnologias que vão aumentar a segurança da festa

Carnaval 2019: confira as tecnologias que vão aumentar a segurança da festa

Principais destaques:
– Cidades apostam em tecnologias para garantir a segurança dos foliões;
– Drones, reconhecimento facial e supercâmeras são algumas das soluções para as festas e blocos;
– Objetivo é reduzir crimes e violência durante o Carnaval nos principais destinos da festa.

Com cada vez mais cidades recebendo turistas para brincar nos blocos, desfiles e festas durante o Carnaval, um tema sempre é discutido ano após ano: como melhorar e garantir a segurança de quem só quer se divertir por dias e mais dias?

Há alguns anos o poder público tem usado a tecnologia como aliada para esta questão. Em 2019, drones, supercâmeras e softwares inteligentes irão auxiliar as forças de segurança de algumas cidades do País.

Um exemplo é o Rio de Janeiro, que irá utilizar câmeras inteligentes que podem fazer o reconhecimento de pessoas com a identificação facial. O uso dessa tecnologia poderá ajudar a polícia a evitar crimes e aumentar a segurança dos foliões nos espaços públicos.

Quer saber onde mais teremos tecnologia à serviço da segurança durante o Carnaval? Confira essa lista abaixo.

Salvador

O carnaval de Salvador terá drones (14 no total) e câmeras de reconhecimento facial para evitar que a violência estrague a festa de quem for pular carnaval nos circuitos Dodô (Barra), Osmar (Campo Grande) e Batatinha (Pelourinho). “Serão mais de 400 câmeras (de monitoramento) e em algumas delas (12) vamos testar o reconhecimento facial”, declarou o secretário de segurança pública, Maurício Barbosa ao site Correio 24h.

A tecnologia funciona da seguinte maneira: um software analisa as imagens captadas a partir de pontos e medidas dos rostos das pessoas e compara com o banco de dados da secretaria (que conta com mais de 1.200 fotos de quem já cometeu qualquer tipo de crime).

São Paulo

A Prefeitura de São Paulo vai utilizar drones para monitorar os desfiles e também blocos de Carnaval. Essa solução é uma medida para evitar acidentes, como o que aconteceu com o estudante Lucas Antônio Lacerda da Silva, no ano passado.

O jovem morreu eletrocutado após encostar em um poste de sinalização e cair sobre uma grade de ferro. O caso aconteceu em 2018, durante o desfile de um bloco da cidade. Segundo a Folha de S. Paulo, câmeras de segurança foram instaladas de maneira irregular no poste de sinalização, o que levou à energização do mesmo e da grade de segurança.

Em entrevista ao site, Alexandre Modonezi, secretário das Subprefeituras e responsável pela organização do Carnaval de rua de São Paulo, explicou que o uso de drones “é mais seguro porque não energiza os postes” e que a nova logística das grades de ferro será feita pela SPTuris, a empresa oficial de turismo e eventos da cidade.

Belo Horizonte

A cidade tem programação carnavalesca até 10 de março e quer reforçar a segurança para com as mulheres. Segundo a prefeitura de Belo Horizonte, uma mulher foi vítima de violência a cada 42 minutos durante o Carnaval em 2018.

Para prevenir crimes contra as mulheres e outras violências, a polícia local irá utilizar três drones e uma Plataforma de Observação Elevada (POE) — caminhão equipado com uma supercâmera de 360º e lentes com 3 quilômetros de campo de visão — para monitorar as festas de Carnaval. De acordo com a Polícia Militar de Minas Gerais, os drones são equipados com câmeras de longo alcance e são capazes de filmar suspeitos em locais públicos.

Recife e Olinda

Durante o Carnaval, o Governo de Pernambuco irá utilizar videomonitoramento para garantir a segurança dos foliões. Tanto em Olinda quanto em Recife, o poder público irá contar com uma POE para captar imagens e transmiti-las para o Centro Integrado de Comando e Controle Móvel da Polícia Militar, de onde irão partir as ordens de reforço policial.

Ainda em Olinda, o Carnaval contará com 16 câmeras de segurança e dois drones para o patrulhamento aéreo e registro de ocorrências. Ao G1, o secretário de Patrimônio, Cultura e Turismo de Olinda explicou que os equipamentos irão filmar qualquer ocorrência (furtos, roubos e agressões, por exemplo) e enviar as imagens em tempo real para a base de videomonitoramento.

O Estado reforçou também a Delegacia pela Internet para que, em caso de roubo, perda ou extravio de documentos, os foliões façam o registro de ocorrência. O serviço estará disponível de domingo a domingo, 24 horas. Outra ação para o Carnaval é o Alerta Celular, em que é possível cadastrar o IMEI do smartphone no site da Secretaria de Defesa Social e recuperá-lo em caso de furto ou roubo se o mesmo for encontrado pela polícia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *